sábado, 27 de abril de 2013

L'Amour

 Todos conhecemos um casal em que sucedeu conhecerem-se num dia e no outro já andarem a dizer que tinham encontrado a sua cara-metade e praticamente começado a namorar.
 Normalmente são este tipo de casais em que eu nunca apostaria que teriam futuro.
 É óbvio que podem e existem excepções à regra, mas o "amor" à primeira vista não costuma resultar.
 Uma das razões pelas quais eu condeno a relação é: Se te fascinares por uma coisa que ainda nem sabes como é, vais ignorar tudo o que de novo aprenderes sobre ela, principalmente se for mau. É do tipo "Eu gosto mesmo dele, ele ontem é que foi agressivo mas eu sei que ele não é assim."
Mas lá está, tu não o conheces e na verdade esse pode ser realmente a pessoa que ele é.
 A segunda razão é que quando estás a conquistar alguém, tendes a actuar e a reagir de forma um pouco diferente do que realmente és. Pode não ser completamente propositado, mas a verdade é que mais cedo ou mais tarde vais ganhar confiança começar a agir normalmente ao pé do teu amado. E podes surpreendê-lo(a) tanto pela positiva como pela negativa.
 A última razão de que me lembro, é que, muitas vezes para ter tema ou para agradar ao parceiro, achamos que partilhamos interesses ou gostos de que eles nos falam. Podem, por exemplo, mostrar-te uma música de que gostam e até podes achar que sim, nunca tinhas gostado muito do género mas afinal é fixe, mas meses depois pensas "Onde é que raio eu tinha a cabeça quando achei que gostava de Dubstep?!".
É claro que também há aqueles lucky bastards que realmente se conhecem e têm logo ligação e são de facto feitos um para o outro. Mas é preciso mesmo muita sorte para ser esse 1 em 10000.
 De facto, espero que essa sorte vos calhe (may the odds be ever in your favor). Se não, a maneira mais fidedigna de se apaixonar é primeiro de tudo construir uma amizade com a pessoa. Pelo menos, é a minha percepção..

Cumprimentos,
A Marquesa

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Ora nem mais! As pessoas hoje em dia tendem a fazer tudo demasiado rápido: a apaixonarem-se demasiado rápido, a dar tudo demasiado rápido, a divulgar tudo demasiado rápido...

    ResponderEliminar

Querido marquês ou marquesa, sente-te à vontade para "opinar" :)