terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal!

Queria desejar aqui uma boa consoada e um feliz Natal.
Que estejam com os que amam e se divirtam nesta ocasião. E sejam felizes (eu sei que vou ser porque sou gulosa)!

Sobre o Natal participei numa rubrica no blog da Wendy, podem ver aqui.


Com amor,
A Marquesa.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Motivação

Rudolfo todo natalício
o ano passado
Só mais 16h e entro nas férias de natal!

Faz-me tanta impressão ser já dia 20 e ainda estar longe da minha família...
Mas amanhã é dia de frequência, últimas compras cá na capital e depois rumo à "terra" ver os papás, o meu irmão e o meu lindo Rudolfo!












Um bom fim de semana,
A Marquesa.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Luto

 Sinceramente este post vai ser num tom bastante chateado porque acabei de ler no facebook um estado de um caloiro do meu curso a dizer que a praxe do nosso curso era uma farsa porque hoje na Lusófona houve um abraço de esperança, em honra dos 6 alunos que infelizmente faleceram no mar da praia do Meco, e só três pessoas do nosso curso é que foram.

 Primeiro, é preciso explicar que no meu curso a praxe consiste apenas na primeira semana e depois em mais dois eventos (Tribunal de Praxe e Enterro do caloiro/Traçar da capa dos pastranos). Todos esses necessitam preparação e planeamento prévios por parte de toda a comissão de praxe.
Não temos quintas-feiras negras nem mais actividades de praxe simplesmente porque no nosso curso é impensável.
Os alunos de 3º,4º e 5º ano (os que podem praxar) têm aulas de grandes animais que são leccionadas fora da faculdade (em quintas e explorações) todas as semanas. E todas as turmas são em dias diferentes. Por outro lado a nossa avaliação prática é contínua o que implica que temos testes todas as semanas e precisamos de nos preparar para estes.
Sendo assim, percebo que os caloiros quando falem com pessoas de outras faculdades e cursos pensem que nós somos preguiçosos e que os eventos académicos são só esses três, mas a verdade é que tentamos incutir o espírito embora não possamos ter a praxe sempre presente.

 Segundo, acredito que cada um deve ter a liberdade de fazer o luto como quiser. Conheço quem não acredite bem no luto ou que prefira uma introspecção mais indívidual e não cerimónias colectivas.

 Terceiro, embora as minhas condolências vão para as famílias e amigos daqueles que morreram não posso dizer que este luto tenha tanto significado para mim como para eles. Claro que a nossa comunidade académica deve ser unida e queremos mostrar a nossa compaixão para com os outros cursos, principalmente os colegas mais próximos, dos que sofreram a tragédia. Mas daí a ser hipócrita e dizer que aquilo me afecta tanto só por causa do mediatismo como algumas pessoas que conheço vai um grande passo.
Aquele argumento do "Se foste tu gostavas de saber que as pessoas se importavam!" para mim não faz sentido. Sinceramente, ter pessoas que não sabem nada sobre mim a fazer luto não me importa. As únicas pessoas que gostava que se importassem são as que conheço, as que amo, porque acredito que fiz alguma diferença na sua vida e que realmente vão sentir a minha falta. Que gostam de mim como pessoa ou de algo que eu tenha feito a diferença.
É triste porque eram jovens e realmente podiam ter feito a diferença se o destino tivesse sido diferente. Mas também me entristece a morte, por exemplo, do Nelson Mandela porque realmente sacrificou grande parte da sua vida a lutar pelos oprimidos e conseguiu fazer diferença no mundo, mesmo sem nunca o ter conhecido.

Desculpem o desabafo mas hoje tinha mesmo que ser...
Ainda por cima esta noite que só tenho ainda 4/5 da matéria do teste de amanhã para estudar e um trabalho para fazer praticamente do zero.

Cumprimentos,
A Marquesa.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

The Hobbit - A Desolação de Smaug

Quem me conhece sabe que sou um pouco geek no que toca ao universo Tolkien (ou melhor, à Middle Earth de Tolkien).
Na passada 5ª feira fui com o meu namorado e os amigos dele ver o segundo filme do Hobbit. Eles também partilham esta minha paixão, por isso vêm mesmo complementar o meu grupo de amigos, em que quase ninguém liga ao Senhor dos Anéis.
Eu e o Kili antes do filme começar
(foto tirada pelo meu namorado awesome)
Para quem leu os livros, como foi o caso de muitos de nós, ficou um bocado desiludido pelo filme se ter afastado muito da história ao trazer o Legolas e toda a história do Kili e Tauriel.
Porém, continua a ser um excelente filme. Tem todo o espírito dos livros e da triologia do Senhor dos Anéis e os efeitos especiais estão qualquer coisa! Foi a primeira vez que fui ao IMAX e devo dizer que valeu a pena para este filme! Todo o efeito do Smaug a andar pela sala do tesouro estava muitíssimo bem feito.
Agora é esperar pelo ano que vem para ver a última parte da triologia... É daquelas coisas em que por um lado estou ansiosa, mas por outro deixa-me triste a saga acabar.

Há mais alguém que tenha visto o filme por aqui? Que acharam?

P.S. Adorei a música dos créditos, é simplesmente linda e ainda por cima cantada na voz do Ed Sheeran.


Com amor,
A Marquesa.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Luísa

Não me perguntem porquê mas estou viciada nesta música!


Sei que não é nada especial mas é fofinha e ficou-me na cabeça... Só com o meu nome é que não há nenhuma música dedicada :P



Esta semana vai ser a doer, tenho um trabalho para entregar com pelo menos 15 referências bibliográficas, três avaliações e para rematar no sábado tenho frequência...
Dói não dói? (não) estudasse!

Com amor,
A Marquesa.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Jantares de Natal

 Este foi o primeiro ano em que tive jantares de natal com amigos.
 Adorei e espero repetir a experiência todos os anos!
 Já sabia o que era a troca do Amigo Secreto (ou Secret Santa na versão original), mas nunca tinha entrado numa. Devo dizer que fiquei fã! Para além de só gastarmos dinheiro numa prenda e recebermos outra, tem o lado divertidíssimo de encontrar algo certo para a pessoa de acordo com alguma "inside joke" e ao abrir as prendas uma de cada vez é um ínicio de jantar hilariante!
 Adoro mesmo o mês Dezembro por ser todo já com espírito natalício e de festa. Embora ainda tenha aulas (e pior, avaliações) até dia 21...
 Mas pelo lado positivo, já só faltam menos de 2 semanas para a noite de Natal!

Uma boa semana,
A Marquesa.



segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O que me impede de ter melhores notas ou As minhas séries favoritas II

The Walking Dead

Esta foi uma daquelas séries que nem me puxava muito quando ouvi falar dela, mas logo no 1º episódio conseguiu cativar-me.
Basicamente conta a história de Rick Grimes, um xerife que durante um confronto com delinquentes é atingido por um tiro e fica durante uns dois meses em coma.Quando acorda o mundo que conhecia está virado do avesso.
Tinha começado uma epidemia, os chamados Zombies.
Sem saber onde está a família ele ruma à sua procura encontrando alguns sobreviventes à sua passagem que lhe contam o que aconteceu durante os seus meses de inconsciência.

As minhas personagens favoritas são: a Carol, o Daryl e o Glenn (na imagem à direita com a Maggie, também muito badass).

A série tem algum sangue e violência à mistura, mas o que realmente prende e a verdadeira mensagem da série é a reacção humana perante uma catástrofe destas.
Enquanto uns se unem e são altruistas, há quem procure o poder e outros simplesmente egoístas que não se importam de matar pessoas inocentes e saudáveis para obterem o que querem.

A única "crítica" a fazer é que gostava que eles explorassem mais a natureza deste vírus que os transforma em Walkers, talvez aconteça mais à frente na série.. Agora estão preocupados em sobreviver, coitados!

E vocês, vêem e gostam desta série? Quais as vossas personagens favoritas?

Uma boa semana,
A Marquesa



sábado, 30 de novembro de 2013

Grammar

Se há uma coisa que dá comigo em doida são erros ortográficos.
Eu não sou perfeita, também há vezes em que me engano...
Mas quando são daqueles erros em que uma pessoa pensa que está a escrever bem a palavra há algo em mim que ruge de fúria.
Exemplos ( e acreditem que me dói só de escrever isto):

"Revelarao-se" em vez de revelaram-se
"Aqui estudasse" em vez de "aqui estuda-se"
"falta de geito" em vez de jeito
"secalhar"

E em inglês confundir:
 your com you're
to com too
sweety com sweaty

E ainda mais, mas acho que já chega de exemplos.
A maior parte vi no facebook e juro que me controlei bastante para não dar numa de "Grammar Nazi"

Cumprimentos,
A Marquesa.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Vets

Antes de entrar para o meu curso e ter contacto com a diversidade das minhas cadeiras nunca tinha tido noção do papel que um veterinário tem na sociedade para além de clínicas.
A sério, ninguém se consegue livrar de nós! Por exemplo:

Se gostas muito de animais:
Provavelmente vais ter contacto com veterinários num hospital ou clínica se tiveres um animal de estimação. Se não, provavelmente apoias uma organização (ou vais ao zoo) em que também trabalharão médicos veterinários.

Se não gostas de animais:
Provavelmente comes carne ou produtos derivados de animais (ovos, leite de vaca, charcutaria). Em qualquer pecuária, fábrica de rações, matadouros, indústria alimentar tem que estar encarregue um médico veterinário. Assim como na inspecção sanitária.

Se não gostas de animais e és vegan (weird!):
Se já adoeceste e a não ser que sejas hippie (o que é estranho porque costumam curtir dos bichos) já tiveste de tomar medicamentos. Muitos medicamentos foram fruto da investigação de médicos veterinários, e todos os fármacos terão sido testados em animais ( ==> veterinários! )

Este post não pretende de forma alguma "gabar", mas sim informar de que o veterinário é um trabalho importante para a sociedade e não apenas o "doutor dos bichos"!

Cumprimentos,
A Marquesa.


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Lisboa


Foi em Setembro de 2011 que fui morar para Lisboa, ao entrar para a faculdade.
Nos primeiros tempos achava tudo muito confuso. Os transportes, a quantidade de pessoas, as várias zonas.
Sei que há pessoas que nunca se adaptam à cidade. Depois há as que, como eu, se apaixonam por ela.
Por um lado acho que como ao ter ido viver numa fase de vida em que fui "obrigada" a conhecer pessoas novas, na actividade de praxe e na faculdade me facilitou a fazer amigos e ter pessoas com quem explorar a cidade e me divertir. Por outro lado, tenho família lisboeta por isso sempre pude contar com o seu apoio.
Quando antes só conhecia praticamente o percurso casa-faculdade-casa (ou algumas vezes Colombo e Baixa-Chiado), ficava super nervosa quando saía da minha zona de conforto.
Hoje adoro conhecer cada vez mais locais de Lisboa,adoro a diversidade! Se algo existe, tem que haver algures em Lisboa.
Existem os bairros antigos que embora tenham um ar de certa melancolia, são bonitos à sua maneira. As zonas de compras, a zona à beira rio, todos os parques. O bairro alto à noite e os turistas que passeiam tal como nós no Rossio. O castelo de São Jorge e os restaurantes de todas as qualidades étnicas!
E, quando não decidem ter greve, tenho a gabar os serviços de transportes públicos que em 40min no máximo nos transportam de uma ponta à outra de Lisboa!
Como diz o outro "Já fui muito feliz em Lisboa!"

Cumprimentos,
A Marquesa

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dear 12 year old self,

Querida Catarina com 12 anos,

Tenho algumas saudades tuas. Da tua inocência, da tua maior facilidade para conhecer novas pessoas, até das tuas roupas fofinhas que dizias à mãe que já não tinhas idade para usar.
Sei que estás na idade de ler a Bravo, ver os Morangos com Açúcar, sonhar acordada. Quando ainda tinhas as melhores notas da turma sem estudar.
Sei também das tuas inseguranças. E sim, vais perder muitas das tuas amigas que até há um ou dois anos pensavas que eram para sempre. Não, não vais conseguir encontrar o amor da tua vida nos próximos tempos. 
Mas não fiques triste.
Algumas das pessoas que estás a conhecer agora vão revelar-se tuas amigas verdadeiras, para o que der e vier. Acreditas que com essa idade ainda só conhecias talvez 5% dos que são os teus melhores amigos agora? 10% se contares os que ainda só conheces de vista. E se pensares, "E como é que sabes que também eles não vão desaparecer?". Acredita, agora eu sei. São as pessoas que gostam de ti tal como és, assim como tu também as adoras as elas e fazem esforços para manter a amizade. Seja um café, uma festa, uma tarde, qualquer coisa.
O mesmo se aplica ao amor. Acredita que ainda vais ter muitas desilusões. Aos 13 vais ter o teu primeiro namorico que nem 2 meses vai durar, nem vais ficar muito triste porque parece que se fartaram um do outro. Depois, vais ter a maior crush da tua vida até que finalmente o decides esquecer já tens 16 anos. Pelo meio tens umas "curtes" que sinceramente me arrependo. Vais ser influenciada e achar que precisas de ganhar "experiência" e beijar um gajo, que já conheces e sabes que é um otário, só porque sim. Mas por outro lado aí também vais aprender que isso não é para ti porque houve quem saísse magoado (adeus amizade de uma colega tua!) e uma amiga tua (a única com juízo, que se calhar não tão por acaso ainda é das tuas melhores amigas hoje) vai criticar essa tua acção.
Já aos 17 anos conheces um rapaz, diferente dos outros. Começa uma curte/relação e sentes-te feliz por ter um namorado assim. Até que ele deixa de ser o rapaz que te apaixonaste e começa a fazer alguma chantagem psicológica. Mas tu vais estar tão apaixonada, que vais achar tudo normal e continuar "feliz" sendo infeliz. Finalmente ele tem os tomates para acabar contigo (coisa que sinceramente devias ter feito logo nos primeiros sinais de que aquilo não estava bem) e vais ficar destroçada. Digo-te que até hoje ainda não senti uma dor que se compare.
Não te vou mentir, o ano a seguir a essa separação vai ser dolorosa, até que o amor aos poucos se vá desvanecendo e consigas finalmente ver o que se passou claramente.
A seguir vem uma mini-crush, mas nenhum sentimento mais forte.
Mais uma vez vai-te dar para fazer uma cena estúpida e decides ter um encontro com um gajo que sabes não ter nada a haver contigo. Felizmente acaba-se tudo tão depressa quanto começou!
Aí chega Abril deste ano..
Uma das tuas grandes amigas começa-te a falar de alguém e tu sem dares bem por ti vais começar a ganhar um fraquinho por ele. Yup, finalmente encontras aquilo que sonhavas desde os teus 12 ou ainda mais cedo. E prometo que vais ser muito feliz com ele.
Por isso, continua a ser tu própria, nunca mudes para impressionar alguém. Seja amigo ou alguém com quem queiras algo mais. Acredita em mim que mudámos pouco, mas evoluímos.
Continua com os teus ideais, mesmo que alguém ache que já não se adequam a este mundo.
Não tenhas pressa de crescer, vive um dia de cada vez.
Gosto muito de ti (de mim).

Beijinhos, a Catarina de 20 anos.

domingo, 20 de outubro de 2013

O que me impede de ter melhores notas ou As minhas séries favoritas I

Decidi criar um "segmento" talvez mensal ou quinzenal em que falo de uma das minhas paixões: as séries.
Adoro seguir uma história e afeiçoar-me a ela e às suas personagens. Na minha opinião as séries são ainda mais próximas de um bom livro do que o é um filme.

A série que vou usar para inaugurar a rubrica vai ser: Game of Thrones (Guerra dos Tronos).

Comecei a ler o primeiro livro um pouco antes de a série estrear nos Estados Unidos. Tanto a minha mãe como o meu irmão já eram fãs d' As Crónicas de Gelo e Fogo por isso já tinha todos os livros cá em casa.
Quando estreou no Syfy estava a meio do 2º livro (edição portuguesa). Gostei muito da escolha dos actores para cada papel, principalmente o Joffrey e o Ned Stark.
Jon Snow (filho bastardo de Ned Stark)
e o seu lobo gigante bebé (Fantasma)

Para quem não conhece, o enredo passa-se num mundo muito semelhante ao nosso, mas com alguns vestígios de magia e criaturas como dragões, gigantes, "zombies" de gelo, lobos gigantes e mamutes.
Passa-se num reino onde quem manda são as famílias nobres como os Stark, Tyrell, Lannister, Baratheon sendo a última a família do rei.
Vamos sabendo a história e perspectiva de várias personagens, completamente diferentes, mas que de uma maneira ou outra estão ligadas.
Há todo um enredo político em que há quem queira o poder, outros dinheiro e outros só querem levar uma vida pacata e feliz. Não poderia contar muito da história sem spoilers, mas acreditem que a história é extremamente interessante e cativante.
A série também é famosa por morrerem muitas das suas personagens, incluindo algumas principais.

As minhas personagens preferidas são a Daenerys Targaryen (Khaleesi), a qual é descendente da antiga família que reinava, mas teve de se esconder para salvar a própria vida; a Arya Stark, que é uma menina nobre mas o sonho dela é lutar como um cavaleiro e o Tyrion Lannister, o anão que pertence à família mais rica de todo o Westeros que é dotado de uma inteligência, sentido humor e compaixão imensa.

Também gostam desta série? Quais as vossas personagens preferidas?



Uma boa semana,
A Marquesa.

domingo, 13 de outubro de 2013

Irmãos mais novos

 Ainda não me consegui habituar à ideia de que o meu irmão mais novo sai à noite.
 Ele é apenas 3 anos mais novo que eu (tem 17) e os meus pais já o deixam ficar, indo buscá-lo e tudo, até às 3h da manhã.
 Não que ele seja um rapaz que saia à noite muita vez. Se calhar são umas 2 ou 3 vezes por ano.
 A minha admiração vem de que quando eu tinha a idade dele, muitas vezes o meu limite era a 1h da manhã ou pouco mais. Se quisesse ter uma noite mais longa combinava com uma amiga e dormia em casa dela. Até porque vivemos a 20 minutos de carro da cidade onde (vivem e) me encontro com os meus amigos.
 Ora, o meu irmão é, nesta e outras situações, um privilegiado por ser filho mais novo. Já para não falar de que ele é um daqueles gamers que preferem estar sempre em casa para jogar e a minha mãe fica sempre contente e entusiasmada por ele sair de casa.
 Os meus pais já não são inexperientes como quando foi a minha vez, por isso sentem-se mais à vontade para lhe dar a liberdade que a mim custou ganhar.
 Podia estar aqui a enumerar 100 grandes vantagens de ser o irmão mais novo, como quando éramos pequenos fazermos tropelias e apenas eu ficar com as culpas.. Ou ter mais cedo acesso à linguagem de grandes em casa porque os meus pais a mim faziam "baby talk" quando era piquinininha e isso o ajudar a desenvolver o vocabulário e a mente mais cedo.
 Mas sei que também deve ser difícil corresponder às expectativas criadas pela irmã mais velha, embora nas notas ele até me ganhe em algumas coisas...
Enfim, acho que o que realmente me levou a escrever o post é que ainda não me habituei ao crescimento do meu brô. Que chega tarde mas chega! (isto em termos de maturidade)


Uma boa semana!
A Marquesa

sábado, 12 de outubro de 2013

Fumar

 Nos intervalos das aulas (que no nosso horário são inexistentes mas que os professores nos dão por bom senso), normalmente gosto de ir com as minhas amigas respirar um pouco de ar fresco à porta da sala.
 O problema é que tenho imensas pessoas da minha turma que são fumadores.
 Do nosso grupo de colegas mais próximos apenas 3 ou 4 fumam, mas como gostamos de conversar todos, acabamos por nos sujeitar ao fumo.
 Eu nunca fumei na vida (a não ser uma vez em que estava demasiado alcoolizada em que acho que experimentei um cigarro, mas sinceramente não há muito que me lembre dessa noite...), simplesmente não acho que me traga vantagem alguma. Só vejo desvantagens. E o cheiro a tabaco é uma coisa que me incomoda, principalmente quando fica entranhado no meu cabelo e roupa.
 Já me importei mais com as pessoas que fumam, really. Acho que a partir de uma idade as pessoas já são mais conscientes e sabem o que estão a fazer.
 E sinceramente, sem querer parecer mesquinha, o último a rir ri melhor: Eu tenho muito menos probabilidade de ter defeitos na pele, incluindo acne, devido a uma pior circulação sanguínea. Não vou ter maior produção de testosterona, que me provocará mais pêlos corporais. Não hei-de ter tão mau hálito nem dentes tão amarelos (e unhas!) como um fumador. As rugas hão-de aparecer-me mais tarde porque não vou matar as fibras elásticas da minha pele e vou continuar a conseguir subir as escadas do meu prédio sem arfar.
Tenho ainda menor probabilidade de aumentar o perímetro abdominal (a gordura fica mais localizada no abdómen, mesmo sem aumentar o peso) e , ao contrário do que dizem, estarei menos sujeita ao stress porque fumar aumenta o nervosismo.
Quando quiser ser mãe (para além de ter mais líbido sexual e menos propenção a infecções genitais), não terei que ter o peso de consciência de que poderei estar a a fazer mal ao meu feto. Para além de não ter um risco tão elevado de ter um enfarte, úlceras gástricas ou cancro e poder ver o meu bebé crescer.

Bom fim de semana,
A Marquesa

Informação retirada deste site bastante esquematizado e interactivo.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Nós e os problemas

 Todos temos os nossos problemas. Uns mais graves do que outros. Mas o que para mim diferencia as pessoas é a maneira como reagem aos seus problemas.
 Tenho um amigo, por exemplo, que já passou por coisas horríveis. É daquelas pessoas que mesmo em situações sérias não consegue deixar de sorrir. A primeira vez que soube dos seus problemas (porque era impossível imaginar que eles existissem para alguém tão alegre), disse-me que a razão pela qual andava sempre tão feliz e despreocupado era: todos os nossos "problemas" do dia-a-dia para ele são insignificantes, pois sabe bem quais são os problemas a sério e que realmente merecem a sua preocupação.
 Por outro lado tenho várias pessoas as quais se nota perfeitamente quando algo se passa. Sinceramente acho que pertenço a este segundo grupo. Não me orgulho, porque às vezes quando ando ocupada e frustrada com coisas na minha mente acontece descarregar nas outras pessoas que culpa nenhuma têm. Por isso acho que não tenho o direito de me irritar quando o fazem a mim. 
 Mesmo assim o mundo seria bem melhor se, caso os outros não possam solucionar o nosso problema, o guardássemos para nós ou desabafássemos apenas com alguém sem o tom agressivo...

Um bom Outubro para todos,
A Marquesa.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Estudo e Trabalhos

Juro que não me importo nada com o recomeço das aulas.
Primeiro significou "praxe" que, embora eu não seja muito activa durante a dita cuja, gosto de participar na preparação e nas actividades da mesma. Se não fossem os sapatos já era rapariga para ter paciência para praxar.
Depois, deu para rever grandes amigos e colegas, de quem já tinha saudades e felizmente continuam as pessoas que eu tanto adoro.
Por último, eu sou uma sortuda por estar no curso que quero e adoro aprender mais e fazer mais coisas. Finalmente agora no 3º ano já terei actividades práticas e vou finalmente estar no hospital e clínica!
A parte que é para mim mais maçadora é quando os professores falam de trabalhos... Sim, é verdade que se aprende muito sobre o assunto do trabalho que fazemos, mas o stress e a trabalheira que dão não me compensa. Principalmente agora que até nos pediram um trabalho de 20 páginas!
Sim, eu sei que um dia terei que fazer a minha tese de mestrado e será um milhão de vezes mais díficil e trabalhoso, mas por enquanto vou-me queixando.

Feels good to be back!

Cordialmente,
A Marquesa.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

3 meses

Há 3 meses atrás estava a beijar pela 1ª vez o rapaz que mal imaginava eu, iria fazer-me sentir amada como nunca fui!
Tenho o melhor namorado do mundo e só lhe tenho a agradecer todas as surpresas, incluindo as de "hoje" (visto que estou a escrever este post mais cedo porque o meu dia 5 vai ser exclusivamente com ele), pela paciência, pela boa disposição, pela sinceridade, pela ternura e pela cumplicidade com que me trata.
Fazes de mim a mulher mais feliz à face da Terra, my baby penguin.
Amo-te, amo-te e amo-te!

Com todo o amor,
A Marquesa (tua Khaleesi).

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Beautiful

Às vezes tenho vergonha de ser mulher.
Não num sentido machista, mas porque infelizmente pela minha experiência conseguimos ser muito mais "mázinhas" do que os elementos do sexo masculino.
No outro dia estava numa revista uma foto da princesa Beatrice de Inglaterra (que penso até que perdeu peso nos últimos tempos) e o comentário que ouvi foi "Olha-me só esta banha. Que gorda!". Não encontro a imagem mas juro que a moça tinha apenas um pequeno indício de pneu.
Já se fala muito de que se andam a usar modelos com medidas mais comuns e de que se deve aceitar as curvas das mulheres em vez de passar fome para as perder, mas a verdade é que se continua a gabar muito mais uma mulher com barriga definida e coxas fininhas.
 E não me parece nada que sejam os homens a preferir as mulheres muito magras. São as mulheres que querem ser assim devido à grande maioria que critica quem se "desleixa" e tem peso "a mais".
Eu sou mais para o magra e adoraria ter mais curvas (principlamente no upper body if you know what I mean), mas há tantas raparigas com o meu índice de massa corporal que querem emagrecer.
Não que eu ache que ser magro seja feio. Não é. Mas também não é mais bonito do que outra forma qualquer.
A minha opinião quanto à forma é que todas se deviam sentir bem com a sua, mas também ter em atenção a alimentação (nem em excesso nem em falta) e também algum exercício para nos sentirmos melhor e mais saudáveis!

Com amor,
A Marquesa

domingo, 21 de julho de 2013

5 days to go!

Ainda estou em exames (não, nem sequer é em recurso que na minha faculdade essa fase é só em Setembro).
Ficaram os piores para último: Anatomia IV e Anatomia Patológica II, mas a primeira bate a 2ª em termos de dificuldade de estudo.. 
E para melhorar, já tenho todos os meus amigos (sem ser os meus pobres coitados colegas de faculdade) de férias há algum tempo! Só deprimo cada vez que vou ao Facebook e só vejo fotos de praia e festivais :/
 Hoje tinha festa em minha casa por isso vim estudar para casa do meu namorado (que está neste momento na sala com a melhor amiga a ver séries), usar o quarto dele para estudar. Tem o grande benefício de ter os mimos dele que passam por pipocas, ice tea e gelado que vai trazendo muito de vez em quando para não me interromper..
Enfim, tenho que fazer um último esforço e visualizar as minhas férias que começam dentro de 5 dias! Let's go!

O campo de batalha (neste momento com pipocas)

Cumprimentos,
A Marquesa.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Aparências

O meu filme preferido da Disney é a Bela e o Monstro.
A mensagem de que a beleza interior é muito mais importante de que a exterior na busca pelo amor.
À medida que fui crescendo, fui, tal como as outras pessoas, levada a pensar exactamente o contrário. A primeira coisa que perguntava quando as minhas amigas falavam de algum pretendente seu era "É giro?".
Mas, mesmo dando importância à aparência, o que me cativava era mesmo a personalidade. Só que tinha vergonha do que diriam por eu ter um fraquinho alguém cujo exterior não era atraente.
O contrário também me acontece: Não consigo achar piada nenhuma, nem sequer ver o que o resto do mundo vê, em alguém que é extremamente convencido ou simplesmente má pessoa. Nunca consigo separar o exterior e o interior da pessoa. Tantas vezes que alguém passou de atraente para "repelente" numa questão de segundos por abrir a boca..
Sobre este assunto vi no Shiuuuu um post já há alguns meses atrás de alguém que conseguiu exprimir-se muito melhor que eu sobre este assunto:
"E para aqueles que tanto olham à imagem, que tantas vezes vejo por aqui, preocupem-se mais em apreciar e admirar as pessoas, preocupem-se mais em "estudar" as pessoas, em saborear a essência das pessoas, aquilo que lhes vai na alma, no coração, nas suas mentes... É isso que as faz, que as constrói, é disso que elas são feitas - porque o resto, é carne e osso como em toda a gente. E é com essa concepção interior que vamos viver o resto da vida - a carne e o osso vão deteriorar-se! Eu deixei uma pessoa tão desejada por tantos, tão assediada, tão deslumbrante fisicamente, que fez tantos amigos meus dizerem-me que eu era parvo por deixa-la, para correr atrás de alguém que além que, de facto, não tem tais atributos físicos. Mas... a essência das pessoas está lá dentro, é intangível! Está no seu olhar doce e humilde, no seu toque sem intenções maléficas, no seu doce e terno sorriso, e no seu coração do tamanho do mundo, gerido por um cérebro capaz de nos fazer tremer a cada palavra proferida, capaz de nos fazer parar e pensar o quão pequeninos e insignificantes somos a cada frase sussurrada. É isto que faz uma Mulher, porque na verdade, nós passamos mais tempo com elas de pé, do que deitados."

Tal como o meu D. diz: daqui a uns anos vamos todos ser velhinhos feios, o que permanece é a essência da pessoa e é com isso que vamos conviver para o resto da vida.

Cumprimentos,
A Marquesa.

Genetics

Adoro ver fotografias antigas.
Gosto de ver os meus pais e familiares quando eram novos e verificar o quão os respectivos filhos são parecidos com eles à medida que vão crescendo.
É sempre estranho ver a genética tão evidente..
Eu, por exemplo, sinto-me sempre orgulhosa quando dizem que sou parecida com a minha mãe quando ela tinha a minha idade.
 Aqui fica um exemplo, com apenas 10 anos de diferença na idade:

Um bom fim de semana minha gente, que por cá estamos em exames até 24 de Julho..

Cordialmente,
A Marquesa.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

My Sun and Stars

Sou uma rapariga de sorte.
Se me queixo por vezes de que nada de bom me acontece, depois há acontecimentos que abalam positivamente e completamente a minha vida.
Sabem aquelas pessoas que aparecem totalmente despercebidas na vossa vida e só se apercebem de toda a sua importância e impacto na vossa vida mais tarde? Aquelas que mudam o vosso mundo de pernas para o ar? O meu namorado é uma delas.
Quando o conheci, não vou mentir, não o achei nada de especial. Apenas mais um amigo de uma amiga minha. Uma cara fofinha e bastante alto, mas nada de por aí além.
Até que por conversas que ela me contava, comecei a perceber que ele não era apenas mais um. Era especial. Dos rapazes mais meigos, queridos, maduros e inteligentes de quem tinha ouvido falar.
Sem querer, comecei a criar um fraquinho por ele. Claro que nunca o poderia admitir. Já chegava eu saber que ele nunca gostaria de mim, não precisava que outros soubessem só para sentirem pena de mim. Como é que um homem daqueles alguma vez iria olhar para uma rapariga normal e completamente igual às outras como eu?
É claro que das poucas vezes em que estava com ele ficava nervosa, nunca dizia nada de jeito e no fim quando ele ia embora só tinha vontade de bater com a cabeça na parede por me derreter assim tão facilmente.
Não é de admirar o meu espanto, quando numa saída de amigos ele se começa a aproximar de mim. Claro que na minha cabeça, a explicação para isso passava desde ser apenas a simpatia natural dele, ou a estar a ser usada para fazer ciúmes a qualquer outra rapariga.
Mas não, na noite seguinte voltámos a estar todos juntos e, para minha grande felicidade, ele beijou-me.
Percorremos a cidade de Lisboa durante a noite, apenas conversando e voltando a beijarmo-nos. Quando ele disse que queria ser meu namorado, quase colapsei de felicidade.
Sei que ainda só passaram dois dias, mas nunca estive tão feliz na minha vida. Sou tão tão sortuda! Só espero ser merecedora desta sorte..
Love you D.

Com amor,
A Marquesa.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Hoje é um dia de extrema tristeza

Encontrei o meu primeiro cabelo branco. Sim, aos 20 anos..
Sei que se calhar soo um pouco fútil, mas acreditem que isto realmente deu cabo do meu dia.
Enfim, já sabia que o stress em que ando iria dar consequências. Quem é que me mandou seguir Medicina Veterinária?!

domingo, 26 de maio de 2013

Bons Amigos

Se há coisa de que gosto de me gabar é dos meus amigos.
Não da quantidade, porque embora goste muito dos meus vários grupos, em cada um há talvez apenas 2 ou 3 pessoas que considero amigos próximos.
É que se tenho velhos amigos que cada vez mais se afastam e me desiludem, também há uns que continuam a conseguir surpreender-me pela positiva.

Eu sou uma mulher muito dada a dramatismos. Começo logo a pensar e repensar e a inventar cenários na minha cabeça quando ocorre alguma coisa que não aconteceu conforme o planeado.
Ainda antes de conversar com a pessoa que não foi de acordo com os meus planos, começo a sentir-me frustrada, abandonada e zangada com ela enquanto converso com a "culpada" na minha cabeça.
E depois sinto-me envergonhada quando essa pessoa me liga ou faz um gesto surpreendente que, correspondendo ao bom carácter da pessoa, ligam todas as peças do cenário e fazem com que todo o problema criado por mim mesma desapareça. Até porque na realidade nunca existiu..
Tenho simplesmente de acreditar no melhor das pessoas, principalmente as que adoro.
Sabe bem ter o privilégio de conhecer gente assim.

Com amor,
A Marquesa.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Desenhos Animados da Infância

Se há uma temática de que adoro discutir com os meus amigos, são as nossas memórias de infância.
Nomeadamente todos os desenhos animados e modas que nos acompanharam em pequenos.
 Para além dos Pokémon, Jardim da Celeste e Power Rangers.. O que gostávamos mesmo era dos filmes da Disney.
 Cada um tem o filme que mais o marcou e cada menina tem a sua princesa favorita.

Aqui está o que eu e mais uns quantos consideramos ser a melhor cena de todo o cinema da Disney:


E já agora, quais os vossos desenhos animados preferidos de infância?

Cumprimentos,
A Marquesa

sábado, 27 de abril de 2013

L'Amour

 Todos conhecemos um casal em que sucedeu conhecerem-se num dia e no outro já andarem a dizer que tinham encontrado a sua cara-metade e praticamente começado a namorar.
 Normalmente são este tipo de casais em que eu nunca apostaria que teriam futuro.
 É óbvio que podem e existem excepções à regra, mas o "amor" à primeira vista não costuma resultar.
 Uma das razões pelas quais eu condeno a relação é: Se te fascinares por uma coisa que ainda nem sabes como é, vais ignorar tudo o que de novo aprenderes sobre ela, principalmente se for mau. É do tipo "Eu gosto mesmo dele, ele ontem é que foi agressivo mas eu sei que ele não é assim."
Mas lá está, tu não o conheces e na verdade esse pode ser realmente a pessoa que ele é.
 A segunda razão é que quando estás a conquistar alguém, tendes a actuar e a reagir de forma um pouco diferente do que realmente és. Pode não ser completamente propositado, mas a verdade é que mais cedo ou mais tarde vais ganhar confiança começar a agir normalmente ao pé do teu amado. E podes surpreendê-lo(a) tanto pela positiva como pela negativa.
 A última razão de que me lembro, é que, muitas vezes para ter tema ou para agradar ao parceiro, achamos que partilhamos interesses ou gostos de que eles nos falam. Podem, por exemplo, mostrar-te uma música de que gostam e até podes achar que sim, nunca tinhas gostado muito do género mas afinal é fixe, mas meses depois pensas "Onde é que raio eu tinha a cabeça quando achei que gostava de Dubstep?!".
É claro que também há aqueles lucky bastards que realmente se conhecem e têm logo ligação e são de facto feitos um para o outro. Mas é preciso mesmo muita sorte para ser esse 1 em 10000.
 De facto, espero que essa sorte vos calhe (may the odds be ever in your favor). Se não, a maneira mais fidedigna de se apaixonar é primeiro de tudo construir uma amizade com a pessoa. Pelo menos, é a minha percepção..

Cumprimentos,
A Marquesa

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Facebook

 Se há coisa que me faz confusão e me faz sentir extremamente embaraçada de partilhar a mesma faixa etária com algumas pessoas, é o grande vício que existe hoje em dia em pôr tudo o que se faz nas redes sociais. E quando digo tudo, é mesmo T-U-D-O.
 Não vou ser hipócrita. É claro que eu também partilho coisas minhas, mas tento centrar-me mais em coisas de que me orgulho, acontecimentos importantes, momentos divertidos com os meus amigos ou apenas músicas e vídeos que me marcaram que desejo que consigam fazer diferença no dia de alguém.
 Uma das coisas que sempre me perturbaram é o facto de submeterem fotos ou comentários em que enaltecem a embriaguez, sarda ou moca da noite anterior como se fosse algo de que devessem sentir muito orgulhosos e que todos deviam invejar.
 Sim, eu tenho uma ou outra noite em que é na manhã seguinte que sei o que se passou graças a relatos de colegas meus. Mas não é algo de que me orgulhe. Nunca conheci ninguém que fizesse boa figura bêbado. É óbvio que entre os que partilharam esses momentos vai ser sempre uma história divertida para contar, mas sinceramente não é algo que cause boa impressão a ninguém. Ou pelo menos que deva..
 Para além de que muito do pessoal que partilha esses momentos, costuma ter também familiares adicionados que não deverão ficar muito satisfeitos por se louvarem de tal.

 Como se costuma dizer: "Esta juventude está perdida!"


Cumprimentos,

 A Marquesa.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Soundtrack



Há músicas que marcam certos momentos da nossa vida e esta é uma das minhas.
Embora me lembre um período bastante triste da minha vida, em que estava a recuperar de uma separação, ajudou-me um pouco a superá-lo.
Ainda hoje acho que é uma das músicas mais bonitas dos Snow Patrol, que são uma das minhas bandas favoritas. A letra é bastante marcante.
Gostava que quando a ouvissem partilhassem nem que seja uma ínfima parte do meu amor por ela.

Cordialmente,
A Marquesa.

terça-feira, 9 de abril de 2013

O marco das duas décadas

 Para o próximo mês atinjo as duas décadas de vida.
 É mesmo estranho acreditar que isso vai realmente acontecer em tão pouco tempo. Há uns 5 anos atrás diria que quando fosse uma mulher de 20 anos, já seria super confiante, teria os rapazes a meus pés (e provavelmente já namoraria com o rapaz com quem iria casar), seria completamente independente e continuaria a ter as amigas e amigos de sempre, mas agora com conversas muito mais sofisticadas e adultas. Já usaria saltos altos todos os dias, sem que me doessem os pés, teria sempre uma aparência impecável e saíria à noite todos os fins de semana até chegar a casa de manhãzinha.
Porém, a realidade é completamente diferente.
Embora o ambiente universitário seja um novo mundo, continuo dependente dos meus pais e também não consigo imaginar o que seria de mim sem eles. As noitadas como as descrevia acontecem no máximo uma vez por mês em tempo de aulas. No fim de semana, as noites são na verdade umas horas em que consigo estar com os meus amigos da cidade natal num café ou bar a pôr a conversa em dia. As conversas continuam a ser cheias de piadas e coisas parvas que nos fazem rir. Nada de discutir muito filosofias ou políticas, apenas um ou outro comentário sobre cada curso universitário que cada um está a tirar (e que alguns de nós concluem já para o ano!).
 Já quanto aos rapazes, continuam-me a dar desgostos ou eu a eles. Ainda não encontrei o "tal" com quem vou casar, de certeza. Saltos altos só dia sim, dia não que continuam a magoar-me os pés. E quanto à aparência, só me vêm arranjadinha quando tenho tempo livre. Que de manhãzinha prefiro sempre dormir do que maquilhar-me ou arranjar o cabelo.
 Claro que, embora não corresponda às minhas expectativas, adoro a idade com que estou. Sim, já tenho a sensação de que a minha juventude está já no seu auge e que a partir daqui é sempre a descer. A forma mais clara de perceber isso é a sensação de que ainda agora acabou a crise do acne da adolescência e já me estão a querer vender cremes de prevenção de rugas!
Enfim, deve ser a crise de 1/4 da idade!

Cumprimentos,
A Marquesa.

domingo, 7 de abril de 2013

Apresentação

Bem vindos!

 Sou a Catarina, tenho 19 anos e estudo Medicina Veterinária.
 Já tive antes um blogue, mas deixei de o actualizar por negligência e decidi fazer um fresh start com este Marquesa de Carabá.
 A escolha do nome deriva de, na minha infância, uma das histórias que adorava ouvir os meus pais contar antes de ir dormir ser o Gato das Botas. Tanto que a certa altura, tal como o Gato fez ao dono, também o meu pai me começou a chamar Marquesa de Carabá.
 Sinceramente, nem sei o que dizer sobre a temática do blogue.. Acho que basicamente vai ser sobre qualquer coisa que me passe pela cabeça no momento.
 Espero que gostem e me visitem mais vezes!

Cordialmente,

A Marquesa.