sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Eu não sou nada de fazer reflexões aqui sobre um ano ou mês que passou rotineiramente. Mas a verdade é que 2016 não foi um ano qualquer. Foi um ano especial, tanto a nível académico, como pessoal.
 Numa primeira visão geral das coisas, este ano foi o ano de muitas "últimas vezes". Foi o ano dos últimos exames e frequências, foi o ano das últimas aulas teóricas e práticas, foi o último ano de contacto com medicina veterinária de cavalos e animais de produção, foi o meu último baile de finalistas, as últimas férias escolares e o último estágio de Verão.
 Por outro lado, mesmo academicamente, foi o ano de algumas primeiras coisas. Foi o primeiro ano em que visitei um matadouro, em que contactei com pecuárias de coelhos e galinhas. Foi o primeiro ano em que tive de pôr mãos à obra e enviar e-mails para arranjar local de estágio e orientador para a tese.  Pessoalmente, foi o primeiro ano em que amigos meus me acolheram em sua casa no estrangeiro e me senti como se estivesse na minha. Foi o primeiro ano em que consegui usar uma agenda em papel até ao fim. Foi a minha primeira experiência de distribuir fitas de finalista e ler cada uma com os olhos marejados de lágrimas.
 Foi o ano em que mais me desafiei a mim mesma. Desde deixar de comer chocolate durante um mês, até ir sozinha para outro país ter uma experiência de estágio e de passear sozinha enquanto turista. Consegui também passar para a prática várias ideias e rúbricas que tinha aqui para o blog, mesmo tendo cada vez menos tempo para me dedicar a ele.
 Foi um ano em que me tornei cada vez mais fiel a mim mesma, a aceitar-me como sou e a praticar aquilo com que me identifico. (Re)Descobrir o Yoga que tanto amo, foi apenas o princípio, sendo que deixar de comer carne foi a maior mudança para mim.
 Para além disso, como nenhum Homem é uma ilha, houve muita gente à minha volta que me encheu de gratidão. Desde os amigos mais antigos da minha cidade natal que não mudam, às minhas colegas de faculdade que demonstram que não fomos uma amizade de circunstância, à minha família que revela conhecer-me tão bem, à equipa do meu local de estágio que me faz sentir parte da família e, por último, ao meu namorado, o meu maior apoio, confidente e parceiro.

Espero que o próximo ano também me traga imensos motivos por sorrir, assim como momentos menos bons mas de aprendizagem!

Um felicíssimo 2017 meus amores! 

Com amor, 
A Marquesa

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Christmas Veggie Challenge - Muffins de Chocolate & Noz

Pus logo em prática este "Christmas Veggie Challenge" ainda uma semana antes da consoada, no jantar de natal do hospital.
 Foi-me pedido levar uma sobremesa, que não tivesse de ser levada ao frigorífico de preferência (que o frigorífico para a nossa comida é pequeno). Como dentro dos convidados para o jantar iriam estar pelo menos duas pessoas veganas, pus as mãos na massa para fazer uns muffins sem qualquer produto de origem animal.
 Como ponto de partida fui buscar uma receita sem ovos da blogger portuguesa que mais confio para pôr as receitas em prática: Joana Roque
 Muffins de chocolate (receita da Joana aqui), já soavam bem. Porém, quis acrescentar nozes porque adoro a junção do cacau e destes frutos secos, assim como para dar um ar mais natalício à coisa. Depois, foi só fazer substituições de alguns ingredientes para ser 100% vegan.



sábado, 24 de dezembro de 2016

Natal cá em casa

 Acho que é comum todas as crianças delirarem com o Natal e eu não fui excepção. Para além da ideia de brinquedos, músicas natalícias e férias escolares, o facto de ter uma mãe que delira com esta época fez-me ganhar muito carinho a esta altura do ano. Há quem faça coleções de postais, a minha mãe faz de presépios. Há quem ganhe um brilho nos olhos quando entra na sua loja de roupa favorita, a minha mãe ganha esse brilho nas lojas que vendem exclusivamente decorações de Natal. Há quem chame ao seu animal de estimação o nome de um cantor ou atleta que admire, a minha mãe baptizou-o com o nome da rena de nariz vermelho mais famosa do mundo.
 Embora seja ela a tratar da decoração da casa (até porque mais ninguém "toca" nas dezenas de presépios da coleção que deixam o armário neste mês), há uma tarefa que fica sempre para mim e o meu irmão: a montagem e decoração da árvore de natal.
 Depois, tenho montes de primos do lado do pai. Quando éramos pequenos juntavam-se a minha avó e a irmã com os respectivos filhos e netos, mas depois com a chegada de mais rebentos e casamentos, acabou-se por fazer cada uma para seu lado. Desses meus primos mais velhos ganhámos uma tradição que perdura até hoje: em todos os natais a geração mais nova faz uma actuação para os mais velhos. Já passou por interpretações de músicas natalícias, jogos, mas o que permanece normalmente são os teatros e a utilização de uma música conhecida para base de uma letra com inside jokes da família e coisas que aconteceram naquele ano.
  No dia 25 é com o lado materno, e quem é que ganha aqui? A minha avó materna, aka, a deusa da cozinha e produtora das melhores sobremesas do mundo.

Enfim, queria deixar aqui umas luzes do meu natal e desejar que este ano a vossa consoada e dia de Natal sejam muito bem passadas, em óptima companhia e sempre de coração cheio!
Um feliz Natal minha gente!


Com amor,
A Marquesa

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Christmas Veggie Challenge - A minha história

Quando li no blog da Nádia a ideia de desafiar a blogosfera a tornar o Natal um dia um pouquinho mais vegano, vieram-me basicamente dois pensamentos diferentes à cabeça:
 O primeiro, foi de que é uma ideia engraçada e original para pôr a blogosfera portuguesa a desafiar a sua criatividade e a desmitificar um pouco a alimentação vegetariana à comunidade (não se come só alface, como o pessoal costuma brincar).
 O segundo pensamento foi de que se calhar podia aproveitar a oportunidade para "sair do armário" aqui no blog.
 O que quero eu dizer com isto? 
 Bem, quem me lê há mais tempo sabe que já há uns anos que tenho vindo a reduzir o consumo de carne. Escrevi um post sobre isso ainda em 2014 e voltei a reforçar a ideia aqui uns meses mais tarde.
 Quando fui para Inglaterra fazer o meu estágio, decidi cortar a carne. Ainda cozinhei peixe algumas vezes durante a estadia, apenas porque tinha muito receio de mudar a minha dieta de repente sem ter acompanhamento profissional. Ao voltar, sabia que o mais complicado seria, não quando estivesse sozinha em Lisboa, mas depois em casa com os meus pais que (principalmente o meu pai) não são muito fãs deste regime. De qualquer maneira, há já alguns meses que sempre que comíamos fora de casa eu escolhia os pratos vegetarianos, por isso não foi nenhum choque.
 Entretanto fui a uma consulta de nutrição (o que também sossegou logo os meus pais) e tive o choque da minha vida. Tinha perdido quase 3kgs desde o início desta jornada (não, não sei como não reparei que estava demasiado leve!) porque realmente não estava a comer em quantidade suficiente os nutrientes de que o meu corpo precisava. A qualquer um que queira mudar a sua dieta, recomendo vivamente informar-se e ser avaliado por um profissional, seja médico ou nutricionista. Por muito que tenha lido pela internet fora, cada pessoa é única e a dieta de outra pessoa pode não se adaptar a vocês.
 Mais descansada e com um plano alimentar na mão, deixei de cozinhar qualquer prato com "carcaça" de animal, mas fiz um acordo comigo mesma: Se for convidada para algum sítio e não houver prato vegetariano, como peixe. Sei que é um bocado hipócrita, mas para já é assim que me estou a adaptar.
 Entretanto no estágio duas das veterinárias também são vegetarianas, o que ajuda bastante a não me sentir um "e.t." e também na partilha de restaurantes e receitas "cruelty free".
 Hoje sinto-me mais verdadeira comigo mesma, mais saudável desde que comecei a ser seguida pela nutricionista e mais gulosa, porque despertou em mim um lado culinário mais criativo, visto que  a maioria das receitas que conhecia incluíam carne.
  Por isso stay tuned para saber que Manjares da Marquesa vou preparar nesta época natalícia! Para saberem mais sobre o desafio e que bloggers vão participar podem clicar aqui.

Com amor,
A Marquesa

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

"Temos Que Ser Umas P'ras Outras" - TOP 5 Batons de Cieiro

Se há coisa que nunca falta na minha mala são batons de cieiro.
Tenho tendência para volta e meia ficar com os lábios secos e gretados, portanto já ganhei o hábito de os besuntar sempre que saio de casa e depois quando sinto necessidade ao longo do dia.
 Como gosto de experimentar coisas novas, quase perdi a conta aos diferentes batons que me passaram pelos lábios, mas a verdade é que quando gosto volto ao que sei ser uma aposta vencedora. Aqui fica o meu Top 5 de Batons de Cieiro favoritos!


5. Labello Cereja
Lembro-me de me sentir muito sofisticada aos 10/11 anos quando tive este baton pela primeira vez e me sentia uma "senhora" a pintar os lábios de vermelho. Continua a ser um dos meus batons preferidos, embora fique a perder no poder de hidratação e durabilidade contra os outros desta lista.



4. EOS Blueberry
Comprei-o na minha estadia em Londres numa visita à Boots. Lembro-me de estarem na berra há uns 3 ou 4 anos e na altura deixaram-me curiosa mas não estavam à venda em lado nenhum. Comprei este mas posso dizer que o seu maior tributo é também o seu maior defeito: o sabor. Aquele docinho a mirtilos dá-me mesmo vontade de ir lambendo o baton dos lábios... Mas hidrata minimamente bem e tem uma embalagem que é gira como tudo.


3. Labello Milk & Honey
Já experimentei bastantes batons da marca e este é o meu preferido. A fórmula é mais resistente que o clássico azul (pelo menos a mim ele derrete à mínima temperatura mais alta) e mais hidratante que os batons de côr. Gosto dele, mas acho que podia ter mais duração.



2. Cherry Kiss da Rose & Co.
Foi-me trazido da Irlanda e tenho-o na minha secretária (para não ter que ir até à mala I guess). Deixa um leve tom vermelho nos lábios, hidrata muito bem e durante bastante tempo, mas o sabor não é o melhor. Também tem o lado menos bom de ter que ser tirado com o dedo, o que não é tão higiénico.

Fotografia da minha autoria


1. Maracujá/ Romã da Greenland
Descobri o meu batom de cieiro favorito por acaso. Ofereceram-me um vale para a Perfumes & Companhia e faltava pouco para perfazer o valor, por isso juntei à compra um dos batons que estava à venda no balcão. Fiquei muito surpreendida pela positiva e ainda hoje não encontrei um batom que tenha uma hidratação, duração e cheiro tão bons.




Já experimentaram algum destes? Têm para me recomendar mais algum?


Com amor,
A Marquesa

domingo, 11 de dezembro de 2016

Sem férias de Natal

Se já me fez confusão ter que estudar nas férias de Natal quando passei do Secundário para a Faculdade, agora ainda mais estranho é não ter nenhuns dias de folga no período festivo que se aproxima. Mesmo que antes estivesse ocupada e passasse a maioria dos dias das minhas festas na biblioteca a estudar, pelo menos estava na minha cidade natal e a matar saudades da família. Tenho ainda o acréscimo de a minha mãe fazer anos dia 22, o que vai tornar tudo um pouco mais doloroso. Normalmente já celebro esta data em casa.
 Sei que quando trabalhar é isto que me espera, mas para já vou-me queixar já que é a primeira vez...


Tenham o resto de um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Amores de Inverno

 Não sei porque é que são os "amores de verão" que têm a fama, amar é tão melhor no Inverno!
Andarem juntinhos debaixo de um chapéu-de-chuva, beberem chá quentinho enquanto vêm séries, filmes ou apenas conversam debaixo de uma manta no sofá, ir ver as luzes de natal da cidade à noite e sentirem que são vocês que brilham mais com o amor que transbordam pela pessoa cuja mão ou braço está em contacto convosco. Poderem dormir abraçados sem terem que se afastar minutos depois por estarem cheios de calor, planear prendas de Natal um para o outro cujo maior objectivo seja provocar um sorriso e felicidade sinceras. Partilhar um banho quentinho quando chegam encharcados e a tremer de frio a casa, reclamar quando o outro nos toca com as mãos frias apenas para nos vingarmos quando ele menos esperar.
Acho mesmo que o frio vem trazer mais calor ao amor!



Tenham o resto de uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

domingo, 4 de dezembro de 2016

Guia para Londres - Brighton

Se tiverem disponível um dia (ou pelo menos uma tarde) da vossa estadia em Londres em que esteja bom tempo, recomendo vivamente Brighton.
 Brighton fica a uma viagem de 1h de comboio de distância de Londres e o bilhete de ida e volta fica a cerca de 27£, se não me engano.
 Fiz uma breve pesquisa na noite anterior à ida dos principais locais a ver, traçando depois um percurso do qual fizessem parte algumas. A senhoria também me aconselhou a não perder o "Pier".

Logo após sair da estação, dei com esta calçada que indicava uma das atrações da cidade: a North Lane. É uma rua bonita, com lojas engraçadas e alternativas, onde comprei até uma lembrança para uma amiga minha.





Entretanto entrei na biblioteca "Jubilee" (sorry, mas como já confessei neste post eu ADORO bibliotecas!), mas não tirei fotografias. Para além de enorme, tem bem definidas as secções de leitura (infantil, juvenil, zona de computadores) e tinha uns quantos utentes de momento.
Cheguei depois ao Royal Pavillion e aos seus jardins. Não fiz a visita ao interior do edifício, mas fiquei impressionada com o exterior e com os jardins coloridos e bem preservados, dignos do passeio matinal de uma princesa.



Depois de comprar um gelado algures em Kemptown, cheguei ao meu destino - o Brighton Pier. É um parque de diversões numa espécie de doca, com zona de jogos de sorte, assim como montanhas russas e outras diversões. E muita junk food claro!


Yup, depois de uma montanha russa fui experimentar este!

A praia de Brighton visto do Pier

De resto, andei a passear por outras "lanes" no caminho para a estação de comboio para regressar a Londres. Mais uma vez lojas e locais para comer muito bonitos e mimosos.



Recomendo muito a visita, mas atenção à meteorologia. Mesmo em Agosto andei de casaco, pois o vento à beira-mar é bem fresquinho. Com chuva, a zona costeira deve perder metade da graça (e fica mais complicado andar nas diversões).

Tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa


Outras partes do Guia para Londres: Introdução, Walk like a Londoner

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Update do Estágio

Nem acredito que já estou quase a completar metade do estágio.
Se antes tinhas dúvidas quanto a me ter restringido geograficamente, a não ter pesquisado mais sobre locais e por não ter ido para um local maior e com uma maior casuística, todas se foram dissipando.
"Somos poucos mas bons" serve que nem uma luva à equipa, que é unida, complementa-se e onde todos se entre-ajudam para chegar ao objectivo: fazer a melhor abordagem e o melhor tratamento ao animal.
 Para além da parte científica da coisa, tenho aprendido imenso na parte humana. Sobre o quão bem sabe um "obrigado" ao final do dia, mesmo que tenhamos feito apenas o nosso trabalho -prática que comecei a aplicar. Aprendi que estudar não é um sinal de vergonha, mas sim de inteligência e interesse para saber se o que era verdade ontem continua a fazer sentido hoje. Aprendi que não há nada como deixar tudo escrito para os restantes colegas verem, pois há proprietários que, intencionalmente ou não, acabam por distorcer o que dizemos e trocar as indicações médicas todas.
 Pelo meio ainda não comecei a estudar para a tese como devia, mas espero mudar isso em breve.
 Estou a adorar esta fase da minha vida.


Bom resto de semana!

Com amor,
A Marquesa


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Manjares da Marquesa - Mac & Cheese de Couve-flor

Adoro cozinhar, mas o meu calcanhar de Aquiles é mesmo fazer comida para grupos. Enquanto que quando é só para mim adoro improvisar e trabalhar com o que gosto e tenho em casa (o meu namorado também é cobaia às vezes), quando se trata de mais gente tenho medo de falhar, porque aí é muita gente a ficar desiludido e, pior, com fome.
Por isso, quando vi uma receita numa revista que a minha mãe me trouxe da sua visita à Irlanda, decidi pô-la à prova (com algumas modificações) para ver se depois pode ser uma das apostas certeiras quando precisar de alimentar batalhões.




quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Fantastic Beasts And Where To Find Them

Ontem, a convite de uns amigos, eu e o meu namorado decidimos adiantar a nossa ida ao cinema ver "Fantastic Beasts And Where to Find Them" para a antestreia no Imax do Colombo. Tendo em conta que a última vez que lá fomos foi para ver Star Wars Episódio VII, desta vez a sala estava muito vazia. 
Vamos directos ao que interessa my fellow potterheads? Não, o filme não me desiludiu. Sim, acho que vale a pena ir ao cinema.
 Para contextualizar o enredo do filme aos fãs do Harry & Cia., lembram-se de n'"O Prisioneiro de Azkaban" eles terem a disciplina de "Care of Magical Creatures" com o Hagrid? Um dos livros para essa disciplina foi escrito por Newt Scamander. Já estão a adivinhar o nome do livro, não?
Numa edição especial para ajudar uma instituição solidária, J. K. Rowling trouxe então ao mundo dos Muggles esse manual, que é um mini-livro em formato de enciclopédia com uma nota introdutória de Albus Dumbledore e alguns apontamentos do dono do livro, o famoso Harry.
 A história da longa-metragem baseia-se então na vida de Newt Scamander. Nos anos 20, este antigo aluno de Hogwarts encontra-se a percorrer o mundo para estudar criaturas mágicas e a acção começa na sua chegada aos Estados Unidos da América. Para além de acompanharmos o Newt na sua aventura e luta para que os feiticeiros deixem de ver os monstros como coisas assustadoras de que se devem livrar, ficamos a saber um pouco mais sobre a história da Magia e os hábitos dos feiticeiros daquele continente.
Com mistério, imagens lindíssimas, um excelente uso dos efeitos 3D, óptimos desempenhos e caracterizações, uma banda sonora envolvente e a magia que nos deixou maravilhados em crianças, considero que J. K. Rowling saiu vencedora nesta nova aposta. 
Recomendo!




terça-feira, 15 de novembro de 2016

Esquisitices do Blogger

 Quando criei o meu primeiro blog, usei o meu gmail pessoal. Tudo nos conformes até que um há uns tempos vejo que ao querer seguir um blog, me pede para seguir com o meu perfil Google+ (que é pessoal). Vi que ao adicionar um blog à "Lista de Leitura" pelo link não me pedia isso por isso deixei andar.
 Depois surgiu outra coisa que me irritou profundamente: seleccionar alguém pelo widget de seguidores e ter acesso aos blogs que essa pessoa segue mas não ao blog dessa pessoa.
 Até que vi por uns tweets da Inês do Bobby Pins que o que eu andava a fazer para seguir novos blogs, deixava-me a seguir apenas anonimamente. Aí foi a gota de água.
 Como entretanto já tinha criado um email para o blog, criei também um perfil Google+ e adicionei essa conta aos autores do Marquesa de Carabá.
 Depois, como queria seguir com esta nova conta, fiz um apanhado geral dos blogs que queria seguir. Se vos disser que exclui metade dos blogs que seguia no antigo parece muito mau, mas tem que se ter em conta que já cá ando há quase 9 anos, portanto 90% desses blogs já estavam parados ou foram apagados. Por acaso soube mesmo muito bem fazer esta limpeza, por isso quase que diria que só por isso valeu a pena.
 Agora vamos ver se esta plataforma não nos prega mais partidas...



Tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

8 Formas de Relaxar Antes De Ir Dormir

Desde que entrei na faculdade e comecei a ser eu própria a regular os meus horários de sono, tenho tentado arranjar artimanhas para dormir pelo menos 8h.
Parece simples, mas muitas vezes já estou supostamente preparada para dormir e depois é que me lembro que tenho de fazer qualquer coisa, ou distraio-me a ver redes sociais, ou não consigo parar de pensar em qualquer coisa que me mantém desperta.
 Por isso, se tenho que me levantar às 7.30h da manhã (por exemplo), sei que às 23h da noite já tenho que ter tudo preparado para o dia seguinte, assim como deixar de parte aparelhos electrónicos cuja luz do visor faz o meu organismo pensar que ainda é dia. Os 15 minutos seguintes são dedicados a relaxar o corpo e a mente para assim que pousar a cabeça na almofada o João Pestana actuar.

1. Ler
Quando era pequena os meus pais contavam-me a mim e ao meu irmão histórias para adormecer. Já sabendo ler, comecei a participar na leitura destes contos e depois passei a ler eu sozinha. É quase um trigger: assim que começo a ler duas ou três páginas de um livro, começo a sentir as pestanas a ficarem mais pesadas. A excepção são alguns enredos que me deixam mais entusiasmada e sem vontade de pousar o livro, por isso é melhor ir vendo as horas.

2. Yoga
Esta é uma prática bem mais recente que a última na minha vida, mas é das que mais gosto. Se há rotinas de Yoga que nos deixam mais energizados e revigorados, também há outras que servem para nos relaxar e fazer desligar do mundo enquanto alongamos os músculos cansados pelo nosso dia. Fiz há pouco tempo este vídeo aqui da minha yogi preferida, que me fez ir dormir sossegada e com um sorriso no rosto.

3. ASMR
Já alguma vez sentiram uns arrepios na cabeça ao ouvir alguns sons ou, por exemplo, pessoas com uma voz calma e baixinha? Era algo que já me tinha acontecido, só que até uma amiga minha me falar do ASMR (Autonomous Sensory Meridian Response) não sabia que esta sensação tinha um nome. Foi através da partilha de experiências através da internet que se descobriu o fenómeno (engraçado, não é?) e pouco depois, ao irem parar vídeos para o Youtube, começaram a popularizar-se como métodos para relaxar e adormecer. Há várias categorias dentro da "arte", mas eu gosto mais de vozes feminas e calmas, assim como de roleplay, por isso a Sabrina, a Darling e a Amanari são algumas das youtubers que me fazem adormecer como um bebé.

4. Música
Também na onda de sons, podem experimentar ouvir músicas mais calmas ou sons que vos façam suspirar de bem-estar (tipo barulhos da floresta amazónica ou do mar). Atenção é a quem adormecer com auscultadores ou fones nos ouvidos, para não os estragar!

5.Massagem
Se tiverem alguém disposto a dispensar nem que seja 5 minutos a tirar a tensão desses ombros ou a afagar a cabeça (até um cafuné, se for a vossa cena) aproveitem bem. Se não, aprendi que uma auto-massagem aos nossos pés em posição de borboleta sabe maravilhas ao fim de um longo dia.

6.The Big-O
Deus, a mãe-natureza ou a selecção natural fez com que fôssemos dos únicos seres vivos que conseguem libertar (voluntariamente) hormonas de relaxamento, as chamadas endorfinas. Para alcançar esse objectivo, é mais ou menos como jogar à Sueca: ou se tem um bom par ou uma boa mão. I'm talking about s-e-x.
Mais uma vez, atenção às horas meninos e meninas.

7. Chá
Esta eu aconselho a fazerem ainda mais cedo, pelo simples facto de não gostar de me levantar a meio da noite pelo efeito diurético que o chá costuma causar em mim. Não só o sabor, a temperatura quentinha e o cheiro agradável me sabem a vida, como há de facto alguns efeitos tranquilizantes em alguns chás como o de tília e o de cidreira. Atenção ao chá preto e verde que contêm cafeína, por isso não devem ser consumidos quando querem ir dormir.

8."Meditação"
Pus a palavra entre aspas porque na verdade não se refere a uma meditação concretamente dita. Todas as tarefas acima descritas promovem o Mindfulness, aquela sensação de estar consciente do presente e de não pensar em mais nada senão nas sensações que o ambiente nos transmite. É uma grande dificuldade minha viver o presente e não me pôr sempre a pensar nos receios do futuro, tristezas do passado ou até mesmo realidades alternativas. A "Insight Timer" é a aplicação que eu uso para o efeito. Tem uma enorme variedade de meditações guiadas, para os mais diferentes propósitos e da duração que quiserem, que nos vão dizendo no que reparar e pensar. Também podem usar apenas o temporizador e desafiarem-se a vocês próprios.


Também têm alguma destas rotinas antes de irem dormir?


Tenham um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Trump, prove us wrong

Podia dizer que estou assustada, desiludida e triste. Podia mal-dizer os que votaram nele, queixar-me de quem o partido Democrata escolheu para ser representado, ou do próprio partido Republicano ter deixado este homem chegar-se à frente. Podia dizer que lamento do coração a todos os americanos que têm o "azar" de ser imigrantes, islamicos, mulheres, de raça que não a branca e de orientação sexual que não a heterossexual. 
 Mas as palavras já não valem de nada, o povo americano votou. 
Mesmo sabendo que as decisões e a governação do país são maioritariamente tomadas por pessoas que não o Presidente, de qualquer maneira foi naquele porta-voz que representa uma infinidade de coisas que pensávamos ter ficado no século passado, que a maioria das pessoas pensou ao preencher o boletim de voto.
 Por isso resta-me desejar. Desejar não o pior, mas o melhor ao próximo Presidente dos Estados Unidos. Desejar-lhe muito amor, paz e bom-senso para que tome as decisões certas. Desejo mesmo que daqui a uns meses (ou no final destes 4 anos) o mundo fique estupefacto por o mandato ter trazido mudanças para melhor e ser um exemplo de justiça, solidariedade e gestão ponderada.
Please Trump, prove us wrong.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

O lado bom

Se há uns dias falei sobre o dia mais triste até hoje do meu estágio, hoje queria falar sobre o mais feliz.
 Estava a estagiar durante o fim de semana e veio a consulta uma Buldogue Francesa, já acompanhada por nós, que o dono temia já estar a demonstrar sinais de parto. Como exemplar típico da sua raça, já se sabia por estudos radiográficos, que o parto teria de ser por cesariana porque os bebés já tinham uma cabeça maior do que o canal de parto da sua mãe. Na consulta viu-se que ainda não estava na hora, mas que estaria para breve, por isso a veterinária perguntou-me se não me importaria de ficar "on call" só para o caso de a cadela começar a ter as suas contrações durante a noite. (E eu respondi um sim descontraído quando por dentro estava aos pulinhos!)
 Às 3.40h da manhã recebi a chamada.
Cheguei e já cá estava a cirurgiã, assim como a médica. Entre pôr a cadela a anestesia e começar a cesariana em si passou tudo num ápice e quando dei por mim já tinha um recém-nascido nas mãos. Como estavam previstos 6, não havia mãos a medir e fomos fazendo as manobras de ressuscitação assim que saíam do útero da mãe e colocando-os no quentinho. Afinal foram 7 e ficaram todos rosadinhos e sem complicação alguma.
 Depois do efeito dos analgésicos passar à mãe, pudémo-los então pôr a mamar e encaminhá-los cuidadosamente para ter a certeza que todos ingeriam colostro e ficavam de barriguinha cheia. Foram no total 3 horas trabalhosas mas prazerosas, porque acho que é mesmo das partes mais bonitas do nosso trabalho.
 A veterinária agradeceu-me por este grande favor, mas fui sincera quando disse que eu é que agradecia, pois tinha sido uma experiência incrível que me fez sentir mais preparada para a minha vida profissional.



E com uma foto de cachorros recém-nascidos (não os que assisti, obviamente) me despeço.


Tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

domingo, 6 de novembro de 2016

Tri

É saber popular de que os amigos de faculdade são amigos para a vida.
Faz sentido... parecendo que não, são 3 a 6 anos em que crescemos, sofremos e partilhamos momentos com essas pessoas. Penso que, quanto mais velhos somos, mais difícil é fazer amigos. Mas por outro lado, os que conseguimos fazer são amigos dos bons e duradouros, porque a pessoa que somos já não irá passar por tantas mudanças de carácter e seremos mais fieis a nós mesmos do que na adolescência, por exemplo.
 Com isto digo que tenho imensas saudades do meu grupo de amigos da faculdade. Dos mais próximos, éramos uma dezena e "fugimos" para vários pontos do país para estagiar. Desse grupo destaco ainda as minhas duas "M's".
 Se há quem acredite em amor à primeira vista e no destino, então tenho que dizer que com estas amizades foi isso que aconteceu. A pessoa a quem me "fizeram" dar a mão para nos deslocarmos em fila e aos pares logo no primeiro dia de praxe é a pessoa que sinto que nunca mais me largou a mão durante o resto do nosso percurso académico. Sempre me apoiou, afastou as minhas inseguranças e nunca me deixou desistir.
A outra foi uma cara que conhecia de vista, não partilhássemos a mesma cidade natal, que demonstrou ser daquelas pessoas com as quais somos instantaneamente compatíveis, que tem um sentido de humor parecido ao nosso e que só abre a sua parte mais afectuosa a poucos e poucas vezes (o que torna esses momentos ainda mais especiais).
 Fui visitá-las o fim-de-semana passado ao Porto, onde se encontram a estagiar. Se em Setembro me custou não voltar a vê-las na nossa badalada rotina de aulas, custou-me ainda mais despedir-me delas depois de dois dias em que confirmei que a nossa amizade em nada mudou. 
Faltam 2/3 de uma parte de mim, que sei que nunca serão preenchidos por mais ninguém.




Desejo-vos uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Desabafos das duas da manhã

Embora seja uma pessoa que goste de acordar cedo e aproveitar bem as manhãs, não posso deixar de admitir que a minha altura de maior produtividade, pelo menos a nível de trabalhos, é a noite. E não falo de depois de jantar ou assim que o sol se põe: é mesmo a partir das dez ou onze da noite, em que as minhas razões para procrastinar vão diminuindo porque nas redes sociais o meu pessoal vai terminando o seu dia.
 Por outro lado, é um pequeno prazer meu o som das teclas a serem carregadas à medida que estou a escrever um texto (como neste preciso momento) e em Lisboa esta altura é a mais silenciosa do dia, por isso consigo ouvir esta "música para os ouvidos" melhor. Pensando nisso, talvez esse pormenor também explique a minha produtividade em bibliotecas...
 Ainda não estou a escrever a tese (vou só ignorar esse bicho papão mais uns tempinhos), mas a minha orientadora no local de estágio tem-me designado, a mim e ao outro estagiário, alguns trabalhos de casa.
 Se me dissessem há um ano atrás que iria discutir artigos ou elaborar uma apresentação no meu local de estágio eu acho que iria panicar e sofrer por antecipação para um canto. Pior, se me dissessem há um ano atrás que eu iria fazer estas tarefas com gosto e nostalgia eu iria achar que me tinha sido feita uma lavagem cerebral qualquer...
 Mas a verdade é que quando nos apercebemos que provavelmente nunca faremos uma determinada coisa outra vez na vida, parece que de repente se esvaem todos os sentimentos negativos e a coisa nem parece assim tão má; começamos até a apercebermos-nos do lado positivo dela. E o lado positivo dos trabalhos é que aprendo imenso sobre determinada doença quando leio 7 artigos científicos  e 5 capítulos sobre ela. Apercebi-me disso ao hoje "contrariar" a opinião de um veterinário, pois o meu conhecimento sobre o assunto estava bem fresco e assimilado. A sensação de alguém vos agradecer pela informação e vos congratular pelo esforço é impagável.


Tenham um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

 

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Guia para Londres - Walk Like a Londoner

No primeiro dia de passeio, decidi dedicar-me a conhecer as principais atracções da cidade a pé. A verdade é que continua a ser a melhor forma não só para conhecermos, mas principalmente para nos envolvermos com a atmosfera de uma cidade.
 Resumidamente este foi o meu percurso:

Embora tenha saído em Waterloo e percorrido uns metros ao lado do rio Tamisa, o primeiro ponto de visita foi Westminster. O que há lá? O mais que famoso Big Ben, acopolado à Westminster Abbey. A própria Westminster Bridge também é bonita e se a atravessarem poderão chegar ao London Eye e espaço à volta (mas não o fiz).



Seguindo caminho, dirigi-me para o St. James Park que fica apenas a 10 minutos a pé. Embora seja um parque relativamente pequeno, é bem conservado e na ponte que atravessa o lago conseguem ver de um lado o London Eye e do outro um pequeno vislumbre do Buckingham Palace.



A paragem seguinte foi mesmo a entrada do Buckingham Palace. Cheguei antes da mudança dos guardas às 11.30h, mas não fiquei para ver, visto que já estava inundado de turistas e provavelmente não conseguiria vislumbrar mais do que os típicos chapéus. É um edifício imponente e lindíssimo, assim como os jardins que o rodeiam.


A partir daí rumei ao Green Park, famoso por ter o "Caminho da Rainha" que faz ligação para a rua Picadilly. O parque em si não é nada de especial comparando com o St. James ou Hyde Park, mas é uma passagem concorrida.
Chegamos então à rua cujo "circus" é o ponto mais famoso de Londres, com lojas enormes e ecrãs publicitários gigantes. Pela rua encontram imensas lojas, cujas montras são pensadas ao pormenor e originais.

Uma das livrarias mais antigas e bonitas que já vi



Continuei em direção a Leicester Square, para visitar a famosa loja dos M&M's - M&M's World. É mais pequena que a de Nova Iorque, mas tem mais andares. Mesmo que não gostem dos chocolates, é um espaço muito engraçado com coisinhas giras dedicadas à marca (e tem wc gratuito!).


Ainda fui ver o Convent Garden (com dificuldade, porque estava sobrelotado), mas como se aproximava a hora de almoço decidi seguir a sugestão de uma blogger/youtuber portuguesa que vive em Londres, a TheJuicyGlambition e experimentar o "HomeSlice Pizza". Digo que vale muito a pena, nem que seja para admirar a pérola escondida que é o Neal's Yard com as suas cores pastel e luzes bonitas, que me levaram a pensar em fadas. A pizza é mesmo boa, tem o lado bom que é poder-se pedir apenas uma fatia e foi das refeições mais em conta que fiz em Londres: 4 libras (+/- 5€), sendo que a água foi oferecida..



O trajecto que fiz a seguir a pé, se escolhesse hoje teria feito de autocarro. Basicamente, como Potterhead que sou quis ir logo à Estação de King's Cross e não me apercebi que, ao contrário dos pontos turísticos anteriores, este ficava realmente longe do centro. Demorei praticamente 1h neste trajecto (ia fazendo algumas paragens para fotos ou observar esquilos nos parques), o que de autocarro ou de metro (deixei os links no primeiro post) seria apenas 15 ou 20 minutos.
Porém, não me arrependo nada do que fiz porque a Estação de St. Pancras (mesmo ao lado de King's Cross) foi dos edifícios mais imponentes e genuinamente bonitos que já vi. As fotos que tirei não lhe fazem mesmo jus. Já a estação de King's Cross tem então uma loja dedicado ao universo mágico criado por J. K. Rowling e têm a oportunidade de tirar uma fotografia a atravessar a plataforma 9 e 3/4 ou até de imprimirem a vossa carta de admissão em Hogwarts.





Depois da caminhada exaustiva e baba deitada no chão da loja da plataforma 9 e 3/4, dei este dia de exploração como terminado lanchando no "Costa" à saída da estação.



Espero que a minha experiência vos ajude, quer seja a planear uma visita ou a matar saudades desta bela capital europeia.


Com amor,
A Marquesa

(Outras partes do Guia a Londres: Um)

sábado, 22 de outubro de 2016

D.A.M.A. no Meo Arena

 Lembro-me perfeitamente da primeira vez que ouvi esta banda.
Estava a conduzir na auto-estrada no sentido Lisboa-Leiria e estava a fazer zapping de estações de rádio (quem é que acha que os anúncios ocupam cada vez mais tempo de emissão?) até parar na Cidade FM. Começou a dar uma música com uma letra fofinha, um refrão que ficava na cabeça e vozes masculinas harmoniosas em português. Fez-me sorrir e como identificaram a música como "Balada do Desajeitado" quando cheguei a casa fui pesquisar no Youtube por ela *cof* e fazer download *cof*. Descobri ainda a minha música preferida deles - Luísa.
 Entretanto acho sempre piada às músicas que vão passando na rádio e não sei mais que essas, mas acho que são a boy's band pela qual eu seria fanática se tivesse 10 anos a menos (na minha altura foram os D'ZRT...).
 Como fiquei triste por ter perdido a primeira metade do concerto deles no dia em que fui ao Rock in Rio, recebi com muita alegria bilhetes deles dados pela minha cara metade.
 E ontem foi o dia.
 Para começar, tal como eu esperava, havia poucas pessoas da minha faixa etária. A grande maioria eram crianças e adolescentes com os respectivos progenitores, mas isso não me fez gostar menos do concerto, muito pelo contrário. Ver miúdos tão genuinamente contentes e ansiosos por ver uma banda de que gostam só me fez desfrutar ainda mais o espectáculo.
 Quanto ao concerto em si, "gostei para caramba". Os três rapazes e a banda deram um óptimo show entretendo toda a gente do início ao fim, com direito a mudanças de cenário e convidados especiais (conhecemos o autor d'"A Balada do Desajeitado"; o Diogo Piçarra cantou o seu "Tu e Eu" e ainda um cover do "Por Quem Não Esqueci" com a ajuda do Miguel Cristovinho.).
 Os gostos musicais são discutíveis, mas acho que se pode reconhecer que artistas jovens portugueses que consigam levar tanta gente para o mesmo espaço é um feito conseguido por poucos.

As lanternas da plateia ao som de "Não Dá"


Alguém desse lado também cantarola os singles desta banda?


Tenham um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Guia para Londres - Introdução e algumas dicas rápidas

Nas minhas 3 semanas de estágio numa pequena cidade (Sidcup) a 30 minutos de comboio da capital inglesa, tive a oportunidade de passar dois dos três fins de semana de folga a explorar um bocadinho Londres.
 Já tinha conhecido a cidade, há uma década atrás com os meus pais. Muita coisa permanece igual, mas o facto de viajar, planear e caminhar sozinha mudou completamente as minhas perspectivas.
 Aqui estão alguns conselhos em relação ao turismo desta cidade:

1. Segurança
Senti-me tão segura por andar pelas ruas londrinas, como pelas de Lisboa sozinha. Ou seja, sinto-me à vontade mas sempre alerta a qualquer pessoa ou situação que se possa revelar um perigo. Porém, tenham imenso cuidado com os "pickpocketers", que actuam nas multidões e conseguiram roubar o telemóvel do bolso do meu pai em plena Hamleys da última vez.

2. Dinheiro
Tentem arranjar libras ainda antes de irem para o Reino Unido, just in case. Conseguem levantar dinheiro em qualquer multibanco, mas o meu cartão de débito não funcionou no terminal multibanco em vários estabelecimentos.

3. Tomadas
Tive a sorte de, assim que cheguei, reparar que estavam a ser vendidos adaptadores para a tomada do Reino Unido numa loja do aeroporto. Acredito que alguns hotéis forneçam adaptadores, mas just in case comprem um adaptador para poderem carregar os vossos aparelhos eletrónicos.

4. Transportes
 Dependendo do tempo que despenderem e do percurso que pretendem fazer, provavelmente irão usar transportes públicos. No metro podem comprar o bilhete nas máquinas ou bilheteiras próprias, mas nos autocarros já não é aceite dinheiro, portanto terão que viajar com um passe eletrónico (que mais uma vez podem adquirir numa bilheteira) - o Oyster Card. Se andarem bastante a pé, mais vale carregarem o passe apenas para o que necessitarem, mas se utilizarem com frequência ponderem obter um passe diário (custa cerca de 12 libras) ou semanal.
 Na minha experiência, a melhor maneira de conhecer a cidade é a pé, seguida de autocarro. O metro, embora não nos permita ver (no verdadeiro sentido da palavra) Londres, é muito mais rápido e o mapa relativamente intuitivo. Mind the gap!

5. Comida
Deparei-me com uma realidade, que começa só agora a germinar em Portugal, de se ir buscar comida já feita (sandes, saladas...) a supermercados. É uma maneira barata e relativamente saudável de se comer em Londres. De qualquer maneira existe muita comida e variada, mas a "street food" internacional em alguns locais de Londres ganhou o meu coração.

6. Casas-de-banho
Praticamente todas as casas-de-banho públicas são pagas. Desde 10 a 50 pence, tendo que ser pago em moedas certinhas (andem sempre com trocos na carteira). Costumam ter água quente e também bebedouros.

7. Clima
Obviamente que vai depender da época do ano e podem sempre contar com os serviços de metereologia para terem uma ideia, mas o meu conselho é irem preparados para tudo. Fui em Agosto e apanhei tanto dias solarengos com imenso calor, como dias cinzentos e com chuva (safei-me por ter levado um impermeável de meia-estação). Se forem preparados para o Inverno, vistam-se por camadas devido ao aquecimento dos edifícios.


8. Britânicos

Sempre que pedi indicações, os ingleses foram muito educados e prestáveis. São muito apologistas do seu espaço pessoal e de poderem andar nos transportes sem qualquer interação social, mas também gostam de ajudar.

9. Compras
Se quiserem ir às lojas clássicas ficam muito bem servidos na Regent ou Oxford street, mas se querem presentes originais recomendo vivamente Camden Town. tanto pela diversidade como pelos preços bem simpáticos.

10. Links úteis
Mapa Autocarros (com principais atrações)

terça-feira, 11 de outubro de 2016

25 para comemorar os 50

Se é verdade que ser um blog super conhecido e com montanhas de seguidores nunca foi um dos meus objectivos para o "Marquesa de Carabá", não posso ignorar que ver os números crescerem no painel do Blogger me faz sorrir.
 Significa que há por aí no mundo pessoas que partilham alguns interesses comigo e que gostam do que escrevo, algo que não tem preço.
 Por isso quando vi o número chegar aos 50 decidi que queria fazer qualquer coisa de especial. Já tinha feito a TAG "50 factos sobre mim", por isso decidi dar-me a conhecer um bocadinho mais de outra maneira.
 Como 99% não está comigo desde o início, decidi seleccionar 25 posts (em vez de 50 que me pareceu demasiado) dos quais me orgulho imenso e que me deram um enorme gozo escrever. Adorei reler o blog de uma ponta à outra e recordar tantos momentos da minha vida. Melhor ainda ver o quanto algumas coisas que me preocupavam e enchiam de pesadelos durante a noite já ficaram para trás das costas.
Aqui estão os 25 posts por ordem cronológica, espero que gostem.


1. Expectativas vs realidade de se chegar aos 20 anos - "O Marco das Duas Décadas"

2. Amor logo à primeira vista será verdadeiro e duradouro? - "L'Amour"

3. A minha opinião quanto à beleza interior e exterior. - "Aparências"

4. Escrevi uma carta à Catarina de 12 anos, com alguns spoilers à mistura. - "Dear 12 year old self"

5. Pequenos prazeres que continuam a custar dinheiro, no meio de um país em crise. - "The Real Life Crisis"

6. Uma relação não é um mar de rosas, por isso não percebo quem se mete numa sem amor. - "Estar numa relação é difícil."

7. Um texto sobre a pseudo-escritora que há em mim. - "Antes de morrer gostava de escrever um livro"

8. Participei num desafio do antigo blog da Ju, em que contei um pouquinho da minha vida enquanto bailarina. - "A expressão do Corpo e Alma"

9. Seleccionei 10 dos livros que mais me marcaram. - "10 Livros

10. Sendo uma rapariga do campo a viver de momento na cidade, consigo apreciar o que há de melhor em cada sítio. "A Cidade é dos crescidos e o Campo dos Pequenos

11. Tentando pôr um pouco de humor à mistura na irritação que é o pessoal pôr-se a comentar a nossa cara. - "O Drama das Borbulhas"

12. Para todas as miúdas que já se sentiram injustiçadas pelo tamanho diminuto do seu sutiã. - "Às irmãs da copa A"

13. Participei no Blogger Summer Challenge com uma opinião sobre o que é para mim a blogosfera de hoje em dia. - "A Blogosfera de Hoje"

14. Uma história escrita em lágrimas sobre o cão mais especial da minha vida. - "Era Uma Vez Um Cachorrinho"

15. A minha experiência de doação de cabelo, para quem quiser também fazê-lo. - "Doação de Cabelo"

16. Os defeitos de uns, podem ser a melhor virtude para outros. - "Infantil

17. As pessoas são mutáveis e podem revelar o seu lado melhor. - "As pessoas apuram

18. Ironizando os condutores que nem devem ter precisado de ler o Código da Estrada. - "A Regra de Ouro da Condução"

19. Experimentei passar 1 ano sem beber álcool e estas são algumas lições que tirei da experiência. - "1 Ano Sem Álcool"

20. Desabafos de uma não-fumadora que vive num mundo cheio de tabaco. - "Eu tenho um sonho".

21. Para quem frequenta ginásios ou gostaria saber um bocadinho mais sobre as espécies que habitam este habitat, tentei categorizá-las. - "6 tipos de pessoas no ginásio

22. Uma história de amor entre uma menina e bibliotecas. - "Amor Bibliotecário"

23. O percurso de uma estudante de Medicina Veterinária ao longo dos anos. - "Mais um degrau"

24. Para quem está a pensar aumentar a família de patudos, a minha opinião sobre porque é melhor adoptar (rafeiros) do que comprar. - "Para quê querer uma raça quando posso ter todas

25. Relatos de quem está a começar o Verão e já se está a preparar para as conversas do costume sobre bronzeado. - "Vamos parar de dizer que  pele pálida não é bonita?


Obrigada por estarem desse lado!

Com amor,
A Marquesa


P.S. Enquanto escolhia as publicações, o número aumentou para 52! *inserir coração giro e fofo aqui*

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Temos Que Ser Umas P'ras Outras - 3 truques de beleza com coisas do dia-a-dia

Não sou uma rapariga que ande sempre atrás de "beauty hacks" ou formas fáceis de chegar a um objectivo usando coisas simples e baratas. Mas a verdade é que estes pequenos truques dão um jeitão, ainda mais tendo em conta que funcionam mesmo!


Azeite / Desmaquilhante
Não tens nenhum desmaquilhante para os olhos e não queres ficar com olheiras tipo panda? Ainda antes de haver água micelar, já se usava "gordura" para tirar os produtos à prova de água e o nosso azeite é uma delas. Eu que raramente me maquilho, vejo neste produto uma coisa mágica que faz todo o rímel e eyeliner desaparecer. Porém, como só o uso duas ou três vezes por ano não sei se o uso repetido terá efeitos nefastos para uma área tão sensível como os nossos olhos.

Pasta de dentes / Seca-Borbulhas
Quantas vezes já vos aconteceu chegar ao fim do dia e sentir aquela borbulha a querer rebentar a qualquer momento? A vossa pasta de dentes pode ajudar a secá-la se a aplicarem no local durante a noite. Não é tão eficaz como um creme próprio para o efeito, mas para desenrascar serve perfeitamente!

Colheres / Mata-Papos
Para aqueles dias em que acordamos com os olhos inchados com papos e sem querer abrir (principalmente dormindo menos horas do que o suposto), umas simples colheres podem tratar de nos fazer parecer mais despertos. Dizem que devem ser deixadas no frigorífico durante a noite e depois colocadas sobre os olhos alguns segundos.
 Já o experimentei há uns aninhos atrás (agora nunca preciso/ me lembro) e realmente notei diferença. Para além disso é mais prático do que cortar umas rodelas de pepino - sim, tal como nos filmes! - logo de manhã.


Há algum truque que queiram partilhar? Contem-me tudo!


Tenham o resto de uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

sábado, 1 de outubro de 2016

"I guess I'll try again tomorrow"

 Ontem foi o dia mais pesado que vivi desde que embarquei nesta vida de (estudante de) veterinária.
 Já assisti à morte de vários animais, mas ontem foram 2 animais, no espaço de 15 minutos (3 se contar com uma urgência que teve de terminar em eutanásia). Esses dois animais já eram conhecidos da casa. Já lhes tinha dado medicações, comida e examinado várias vezes ao longo da semana, assim como vi e falei com os seus donos. A parte mais importante de veterinária, para mim, é que um animal nunca vem sozinho, tem uma família. Qualquer informação que queiramos, qualquer exames que necessitemos fazer, qualquer rumo que queiramos dar ao tratamento tem que ser em colaboração com a família. E quando são famílias tão queridas, que amam tanto os seus animais e pelos quais dão tudo é uma frustração enorme quando percebemos que aquela vida se está a esvair pelas nossas mãos completamente impotentes. Não há protocolo de emergência, nem manobras de ressuscitação ou drogas que nos consigam ajudar durante aqueles minutos em que tentamos de tudo, mas sabemos que chegou o fim. 
 Mas não é isso que nos impede de continuar a tentar. Até porque, quando temos que respirar fundo e limpar as lágrimas para ir comunicar aos donos a má notícia, temos a tranquilidade de saber que fizémos o que podíamos; tudo o que teríamos feito pelo nosso próprio membro da família. 
 Haverão dias melhores.



Com amor,
A Marquesa


terça-feira, 27 de setembro de 2016

Chilly weather

Se há coisa que eu gosto de viver em Portugal, é conseguirmos viver as quatro estações em pleno.
Para uns, há a monotonia de se queixarem do tempo o dia todo (demasiado calor, muita chuva, muito frio, etc) mas para outros há uma estação ou outra pela qual anseiam o ano inteiro.
 Se tivesse mesmo que escolher, preferia nunca passar dos 25ºC, mas mesmo assim aprecio o lado bom que cada época nos proporciona. Principalmente a nível de vestuário (pelo menos a mudança de estação permite usar peças que já não usávamos à meses) e de panóplias de actividades que apetecem logo fazer.
 Só sei que este mês, depois de uma noite cheia de calor, saí à rua de manhã e ao sentir o fresquinho  matinal fiquei com um sorriso de orelha a orelha. Espero ansiosamente pelas noites em que me aqueço num abraço do meu Di, pelas chávenas de chá quentinhas acabadas de fazer e que me derretem por dentro, pelas camisolas que já me dizem "olá" de dentro do armário, pela fruta da época e pelas tonalidades bonitas que as árvores vão ganhando.


Tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Primeiras impressões do Estágio

Depois de perceber que nunca mais teria exames, aulas e que nunca mais estaria inserida na minha turma com as minhas amigas, chegou a minha percepção de que já sou estagiária. É mesmo oficial: sou aluna do 6º ano de Medicina Veterinária e estou na minha 3ª semana de estágio curricular.
 É a minha última oportunidade de aprender antes de entrar no mundo profissional, por isso tinha mesmo muito receio de fazer uma má escolha no local onde passarei 6 meses a "trabalhar".
 Os receios têm ido cada vez mais por "água abaixo". A equipa é jovem, as veterinárias fundadoras do hospital têm imensa experiência e têm mesmo interesse em ensinar-nos e incentivar-nos a "meter as mãos na massa", coisas que não aconteceram nos meus estágios extra-curriculares. Para além das fundadoras, os outros veterinários (que têm uma diferença máxima de 5 anos de mim, sendo que 3 deles me lembro de ver na minha faculdade) também gostam de nos desafiar a saber o porquê das coisas e pequenos truques para facilitar o nosso dia-a-dia.
 Pensei que ia sentir outra vez uma diferença imensa do sistema inglês que vivi este verão para o nosso (fora na faculdade), mas toda a metodologia está lá.
 Gosto também que mesmo sendo uma dezena de pessoas naquele hospital, todos são próximos e tratam-se, não só como uma equipa, mas como uma família, havendo conversas descontraídas nos momentos mais calmos.
  Estou mesmo muito grata e a tentar viver ao máximo esta experiência!


Tenham um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

sábado, 17 de setembro de 2016

Amor é... (VI)


Ele ir-me buscar ao local de estágio todos os dias esta semana, porque saio à meia-noite e me sinto mais segura ao lado dele nos transportes.

Crédito: Puuung

Tenham um óptimo fim de semana!

Com amor,
A Marquesa

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Yoga Camp

 Não sei se será um sinal de crescimento, mas ultimamente tenho procurado por aquilo que lembro fascinar-me em criança. Um desses fascínios desde que me conheço foi o Yoga. Lembro-me de ver praticantes desta modalidade na televisão, em séries e filmes e de querer saber fazer aquelas coisas. Mais do que fazer, queria viver aquela serenidade, flexibilidade e positividade que transmitiam.
 Na adolescência cheguei a pedir no Natal aos meus pais um livro de Yoga para matar um pouco a minha curiosidade.
Amigos, se acham difícil acompanhar uma rotina de exercício por um vídeo de Youtube é porque nunca o tentaram fazer por um livro tamanho A5. Para além do tamanho diminuto e imagens imóveis, têm também de ler o texto que acompanha para saber quando inspirar e expirar. Mas, sabe-se lá como, eu até consegui e percorri o livro de uma ponta à outra.
 No segundo ano de faculdade, vi que havia um centro de Yoga oficial a 10 minutos a pé de casa e fiz aulas de uma hora, duas vezes por semana durante 7 meses. A sala onde praticávamos era pequena, mas acolhedora e segura (importante numa modalidade com poses de cabeça para baixo), a nossa professora muito experiente, querida e paciente e o nosso grupo pequeno mas empenhado. Saía sempre com o espírito leve e a mente positiva daquelas aulas. A única parte a que não achava tanta piada eram aos cânticos e a parte mais religiosa (diferente de espiritual!) da coisa. Por outro lado, até hoje quando quero mandar força a alguém imagino a pessoa envolta numa aura violeta ou dourada.
 Desisti pois o horário era fixo, ao contrário do meu horário de terceiro ano da faculdade. (Reza a lenda que andar tão cansada que adormecia no Shavasana também não ajudou a causa).
 Por isso este Verão, estando 2 meses afastada do ginásio em Lisboa, decidi manter-me activa regressando ao Yoga. Como tinha parado a prática há 3 anos pesquisei canais de Youtube de Yoga para iniciados e quando vi a introdução ao Yoga Camp no canal "Yoga with Adriene" soube que tinha chegado ao sítio certo. (Falei sobre esta descoberta aqui).
 Acho que foi a experiência certa para o meu último Verão enquanto estudante. A Adriene foi-me acompanhando em dias sem nada para fazer, em dias com as pessoas que amo, no final de dias ocupados e também durante o estágio em Londres. 
 Estes 30 dias não se tratam apenas de vos deixar mais activos fisicamente, mas também mentalmente e espiritualmente. Entre rotinas e poses, a Adriene vai conversando convosco amigavelmente, como se já se conhecessem há anos. Vai introduzindo temas como amor-próprio, capacidade de auto-superação e gratidão enquanto explica os exercícios ou faz piadas e é isso que adoro nela. Há infinitas variações da prática de Yoga, desde a mais clássica até às mais fitness e nunca encontrei uma com que me identificasse tanto como a da Adriene. Não há cânticos espirituais, mas sentimos o nosso corpo a cantar enquanto nos expressamos através do movimento e não fala de auras, mas a cor que fica é a dos nossos olhos quando brilham de gratidão no final de um vídeo.
 Para além da flexibilidade e tonificação, de me fazer começar o dia mais revigorada ou ir dormir mais relaxada, a Adriene fez-me sentir muito mais confortável com o meu corpo e com quem sou. E isso é impagável.


Espero que tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa