terça-feira, 22 de julho de 2014

A Expressão do Corpo (e Alma)

Decidi participar no desafio da Ju e falar da minha relação com a dança.

Aos 5 anos a minha mãe inscreveu-me no ballet numa escola de dança. Curiosamente essa escola de dança mudou de espaço 3 vezes por aumento do número de alunos enquanto lá estive e agora que saí acabou.
 Fiz ballet, jazz e cheguei a fazer contemporâneo (o que mais gostei).
Tive muitos professores ao longo do tempo, tive colegas de dança diferentes ao longo do tempo e era consoante essas pessoas que o meu amor pela dança aumentava ou diminuía.  Caso o ambiente e a motivação fosse positiva sentia-me a melhorar imenso tanto na técnica como na expressão da dança em si. Felizmente, algumas das pessoas permaneceram e são pessoas das quais guardo um carinho muito especial.
 Mas, enquanto nas aulas a minha dança era avaliada e coreografada, em casa ou noutros locais a dança era minha. Desde quando saía para dançar com as minhas amigas, ou quando ouvia uma música e imaginava automaticamente uma coreografia para ela, ou quando combinava passos aprendidos e criava coreografias minhas ou quando punha uma música na aparelhagem do meu quarto e deixava os sentimentos fluir através dos movimentos.
 Quando entrei na Universidade tive de desistir das aulas de dança, mas sei que a dança, a minha dança, nunca me abandonará.

Eu, no centro, na última actuação em que participei


Desejo-vos uma óptima semana!


Com amor,
A Marquesa

2 comentários:

Ju. disse...

Gostei da fotografia e da tua história! (: Obrigada pela participação!
Beijinho*

Diogo Figueiredo disse...

You dance very well honey ;)

Your master;
<3