segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dear 12 year old self,

Querida Catarina com 12 anos,

Tenho algumas saudades tuas. Da tua inocência, da tua maior facilidade para conhecer novas pessoas, até das tuas roupas fofinhas que dizias à mãe que já não tinhas idade para usar.
Sei que estás na idade de ler a Bravo, ver os Morangos com Açúcar, sonhar acordada. Quando ainda tinhas as melhores notas da turma sem estudar.
Sei também das tuas inseguranças. E sim, vais perder muitas das tuas amigas que até há um ou dois anos pensavas que eram para sempre. Não, não vais conseguir encontrar o amor da tua vida nos próximos tempos. 
Mas não fiques triste.
Algumas das pessoas que estás a conhecer agora vão revelar-se tuas amigas verdadeiras, para o que der e vier. Acreditas que com essa idade ainda só conhecias talvez 5% dos que são os teus melhores amigos agora? 10% se contares os que ainda só conheces de vista. E se pensares, "E como é que sabes que também eles não vão desaparecer?". Acredita, agora eu sei. São as pessoas que gostam de ti tal como és, assim como tu também as adoras as elas e fazem esforços para manter a amizade. Seja um café, uma festa, uma tarde, qualquer coisa.
O mesmo se aplica ao amor. Acredita que ainda vais ter muitas desilusões. Aos 13 vais ter o teu primeiro namorico que nem 2 meses vai durar, nem vais ficar muito triste porque parece que se fartaram um do outro. Depois, vais ter a maior crush da tua vida até que finalmente o decides esquecer já tens 16 anos. Pelo meio tens umas "curtes" que sinceramente me arrependo. Vais ser influenciada e achar que precisas de ganhar "experiência" e beijar um gajo, que já conheces e sabes que é um otário, só porque sim. Mas por outro lado aí também vais aprender que isso não é para ti porque houve quem saísse magoado (adeus amizade de uma colega tua!) e uma amiga tua (a única com juízo, que se calhar não tão por acaso ainda é das tuas melhores amigas hoje) vai criticar essa tua acção.
Já aos 17 anos conheces um rapaz, diferente dos outros. Começa uma curte/relação e sentes-te feliz por ter um namorado assim. Até que ele deixa de ser o rapaz que te apaixonaste e começa a fazer alguma chantagem psicológica. Mas tu vais estar tão apaixonada, que vais achar tudo normal e continuar "feliz" sendo infeliz. Finalmente ele tem os tomates para acabar contigo (coisa que sinceramente devias ter feito logo nos primeiros sinais de que aquilo não estava bem) e vais ficar destroçada. Digo-te que até hoje ainda não senti uma dor que se compare.
Não te vou mentir, o ano a seguir a essa separação vai ser dolorosa, até que o amor aos poucos se vá desvanecendo e consigas finalmente ver o que se passou claramente.
A seguir vem uma mini-crush, mas nenhum sentimento mais forte.
Mais uma vez vai-te dar para fazer uma cena estúpida e decides ter um encontro com um gajo que sabes não ter nada a haver contigo. Felizmente acaba-se tudo tão depressa quanto começou!
Aí chega Abril deste ano..
Uma das tuas grandes amigas começa-te a falar de alguém e tu sem dares bem por ti vais começar a ganhar um fraquinho por ele. Yup, finalmente encontras aquilo que sonhavas desde os teus 12 ou ainda mais cedo. E prometo que vais ser muito feliz com ele.
Por isso, continua a ser tu própria, nunca mudes para impressionar alguém. Seja amigo ou alguém com quem queiras algo mais. Acredita em mim que mudámos pouco, mas evoluímos.
Continua com os teus ideais, mesmo que alguém ache que já não se adequam a este mundo.
Não tenhas pressa de crescer, vive um dia de cada vez.
Gosto muito de ti (de mim).

Beijinhos, a Catarina de 20 anos.

2 comentários:

Anónimo disse...

"Aí chega Abril deste ano..
Uma das tuas grandes amigas começa-te a falar de alguém e tu sem dares bem por ti vais começar a ganhar um fraquinho por ele. Yup, finalmente encontras aquilo que sonhavas desde os teus 12 ou ainda mais cedo. E prometo que vais ser muito feliz com ele." <3

Meu amor, adorei o texto consigo sentir a tua dor/alegria em cada bocadinho que escreveste!

Your master,
<3

Constança Henriques disse...

:)