domingo, 11 de janeiro de 2015

A Cidade é dos Crescidos e o Campo dos Pequenos

Gosto de ser cosmopolita. Sinto-me mais independente e há todo um mundo por descobrir nas cidades grandes. Gosto de andar de um lado para o outro de transporte públicos e de ninguém fazer conversa "de circunstância" só porque alguém está mesmo ao nosso lado. De ser um mundo de aventura. Faz-me sentir mais adulta.
 Porém, quando regresso à minha casa que é o campo, também penso no quanto gosto dela. No quanto me remete para a minha infância repleta de felicidade.
 Acho que a cidade é para os crescidos e o campo para os pequenos.
 Gostava que um dia os meus filhos pudessem jogar às escondidas no jardim e no quintal. Que transformem as árvores em postes de baliza, em escadas para subir, em sombras para ler, em sítios onde têm um baloiço e chegam com os pés às nuvens.
 Gostava que, tal como a mim, lhes ensinassem os nomes das aves que conseguem ver da janela, dos pequenos animais que encontram no quintal, das várias árvores que têm em casa e que provassem os seus frutos e cheirassem as suas flores. A intensidade de cheiros e sabores que não existe na cidade.
 Gostava que corressem à volta de casa, com os primos e amigos, que esfolassem os joelhos de correr e subir às árvores. Que tivessem um cão que por mais que tentem vai ser muito mais veloz que eles. Que conheçam os vizinhos e brinquem com os pequenos e recebam mimos dos mais velhos. Que sejam conhecidos pelas pessoas que vivem nos poucos quilómetros à sua volta e se sintam em segurança onde quer que vão. O espírito acolhedor e protector da aldeia que sempre cuida dos seus.



Espero que estejam a ter um óptimo fim de semana!


Com amor,
Marquesa de Carabá


1 comentário:

Diogo Figueiredo disse...

Such texto cute!

Your master;
<3