quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Marraquexe - A Cidade Vermelha (Parte 1)

Olá a todos!
Regressei ontem de uma mini-visita a Marrakech com os meus pais e brô.
Foi óptimo ir para um sítio menos frio (as temperaturas estiveram entre 20ºC e 8ºC), com uma cultura tão diferente da nossa e a apenas a 1h e pouco de distância de avião.
 Adorei a viagem, toda a arquitectura da cidade, os pormenores de edifícios e das ruas, os vendedores sempre a meter-se connosco, os jardins exuberantes, a comida e o chá marroquinos.
 Os pontos menos positivos foram o cheiro em alguns locais (o que é normal, tendo em conta que há burros e cavalos a passar pelas ruas), usarem animais selvagens como serpentes (a serem "encantadas" por desafinadores de flauta) e macacos para entreter o público e ganhar dinheiro, assim como ter ficado lá tão pouco tempo. Gostava de no futuro percorrer várias cidades de Marrocos e adorava muito mesmo pisar um dia o deserto do Saara, parece ser de uma beleza imensurável!


Curiosidades
Chamam a Marraquexe a cidade vermelha, pois as muralhas da cidade e os primeiros edifícios foram construídos com pedra avermelhada. Os novos edifícios também são pintados desta cor, o que dá um ar exótico a toda a cidade, principalmente a contrastar com o verde das palmeiras e jardins.
A cultura da cidade foi enriquecida pelas tribos da cordilheira do Atlas e pelas tribos nómadas do deserto do Saara.


Vou deixar aqui os locais mais emblemáticos da cidade que conseguimos visitar:

Medina
A Medina é nada mais nada menos do que o centro histórico da cidade, onde as ruas têm lojas e vendedores das mais variadas ofertas, assim como pequenos "cafés" onde os locais vão petiscar.
Há sempre motas, bicicletas, carrinhos de mão ou burros de carga a passar, mas está tudo habituado a desviar-se.





Praça Jemaa el-Fna
 Na antiguidade era o local onde os criminosos eram executados e exibidos como exemplo. Hoje é um dos locais mais vivos e animados da cidade.
De dia, tem várias tendas de venda e espectáculos dos tais desafinadores de flauta com serpentes e senhores com macacos à trela e enfraldados para tirar fotografias com os turistas.
À noite transforma-se com grupos de música que improvisam à volta de lanternas e tendas com restaurantes que nos fazem lembrar as nossas tasquinhas.




Jardim Majorelle
Os jardins públicos da cidade são fantásticos, devem ser um verdadeiro oásis quando está o calor abrasador do verão!
O Jardim de que falo foi concebido por Majorelle e comprado em 1980 por Yves Saint Laurent e pelo seu parceiro Pierre Bergé.
Em termos botânicos acho super fascinante, pois mistura espécies semelhantes (cactos, palmeiras,...) mas de zonas do mundo completamente diferentes.
Também tem imensas cores e é visualmente muito bonito.




Amanhã volto com mais!


Espero que estejam a ter uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa


P.S. As fotos são da minha autoria e do meu pai.

1 comentário:

Diogo Figueiredo disse...

Such guia turística :p

Your master;
<3