quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Fuerteventura - A ilha mais ventosa das Canárias

A contrastar com as viagens dos últimos anos que têm envolvido viajar para cidades e percorrê-las de uma ponta a outra para as conhecer quase tão bem como a nossa, este ano remontámos às típicas férias da minha infância e adolescência: fazer turismo balnear numa ilha.
 Já percorremos praticamente todas as ilhas mediterrânicas (só nos faltam as gregas, excepto Creta), por isso desta vez fomos um bocadinho mais para Sul.
 Foi uma decisão à última hora e deixámos todo o processo de pesquisa e reservas para a agência de viagens, em vez de sermos nós. Um dos pacotes disponíveis era então na ilha de Fuerteventura, do arquipélago das Canárias.
 A ilha vive essencialmente do turismo e alguma produção de leite de cabra e aloe vera.
 A paisagem natural não é das mais bonitas, na minha opinião, já que é árida e rochosa com escassa vegetação. Porém, o mar a quase 20ºC azul turquesa, as temperaturas altas (mas sem ultrapassar os quentes 30ºC) e as praias lindíssimas tornaram-na no palco ideal para umas férias felizes e descansadas.

 Ficámos no Hotel Fuerteventura Princess e ficámos satisfeitos. Os quartos eram espaçosos, limpos e dispunhamos de varanda, o "aldeamento" em si era cuidado e muito bonito. Escolhemos regime "tudo incluído" portanto tínhamos acesso aos vários bares e restaurantes espalhados pelo hotel.
 Tínhamos acesso a 4 piscinas, sendo que uma delas era reservada para nudismo, assim como a uma praia pública mesmo em frente ao hotel.
 Existia ainda uma equipa de animação e aproveitei ainda mini-aulas de stretching e pilates de meia hora que me souberam pela vida.

O interior do nosso hotel
Praia em frente ao hotel (Playa Jandía)
Alugámos um carro durante 3 dias para conhecer outros pontos de interesse da ilha. No primeiro dia apanhámos uma grande desilusão porque o tempo enevoado não deixou algumas paisagens fazerem jus às fotografias que tínhamos visto.
 Para além disso, é muito difícil desfrutar de uma praia quando o vento forte nos chicoteia com areia e nos torna um autêntico croquete humano no percurso mar - toalha.

Praia de Corralejo (diz que é menos ventosa)
Morro del Jable (foi aqui que o nevoeiro atacou)
As estradas da ilha, para muitos dos pontos turísticos, também não são as melhores. As estradas de terra batida e cheias de curvas deixaram-me frequentemente enjoada e a desejar pela invenção do teletransporte. Por outro lado, todas as estradas - incluíndo autoestradas - são de circulação livre e grátis.
Dunas de Corralejo
Faro de Jandía
A verdade é que, embora tenha gostado das férias, não é um sítio que eu recomende e muito menos tencione voltar. 
 Se adorei o mar e o clima? Sim, sem dúvida. Se havia praias bonitas e gostei do hotel e da comida? Sim, mais uma vez.
 Mas, na minha opinião, existem imensas ilhas mais bonitas (qualquer mediterrânica) e sem o grande empecilho que é o vento que torna impossível relaxar na praia sem recurso a corta-ventos. 


Tenham o resto de uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

P.S. As foto são da autoria do meu pai, por favor não utilizar sem autorização.

2 comentários:

Diogo Figueiredo disse...

Such ps no final do post! As fotos são bué fixes!
A ilha parece ser calma, mas não gostava de ser um croquete humano.

Your master;
<3

pequenasvontades disse...

Que viagem boa!!