terça-feira, 8 de novembro de 2016

O lado bom

Se há uns dias falei sobre o dia mais triste até hoje do meu estágio, hoje queria falar sobre o mais feliz.
 Estava a estagiar durante o fim de semana e veio a consulta uma Buldogue Francesa, já acompanhada por nós, que o dono temia já estar a demonstrar sinais de parto. Como exemplar típico da sua raça, já se sabia por estudos radiográficos, que o parto teria de ser por cesariana porque os bebés já tinham uma cabeça maior do que o canal de parto da sua mãe. Na consulta viu-se que ainda não estava na hora, mas que estaria para breve, por isso a veterinária perguntou-me se não me importaria de ficar "on call" só para o caso de a cadela começar a ter as suas contrações durante a noite. (E eu respondi um sim descontraído quando por dentro estava aos pulinhos!)
 Às 3.40h da manhã recebi a chamada.
Cheguei e já cá estava a cirurgiã, assim como a médica. Entre pôr a cadela a anestesia e começar a cesariana em si passou tudo num ápice e quando dei por mim já tinha um recém-nascido nas mãos. Como estavam previstos 6, não havia mãos a medir e fomos fazendo as manobras de ressuscitação assim que saíam do útero da mãe e colocando-os no quentinho. Afinal foram 7 e ficaram todos rosadinhos e sem complicação alguma.
 Depois do efeito dos analgésicos passar à mãe, pudémo-los então pôr a mamar e encaminhá-los cuidadosamente para ter a certeza que todos ingeriam colostro e ficavam de barriguinha cheia. Foram no total 3 horas trabalhosas mas prazerosas, porque acho que é mesmo das partes mais bonitas do nosso trabalho.
 A veterinária agradeceu-me por este grande favor, mas fui sincera quando disse que eu é que agradecia, pois tinha sido uma experiência incrível que me fez sentir mais preparada para a minha vida profissional.



E com uma foto de cachorros recém-nascidos (não os que assisti, obviamente) me despeço.


Tenham uma óptima semana!

Com amor,
A Marquesa

1 comentário:

Querido marquês ou marquesa, sente-te à vontade para "opinar" :)